Vídeo: desnutridos, cinco cães são encontrados em situação de maus-tratos na Vila Ferroviária, em Campo Grande, MS

Vídeo: desnutridos, cinco cães são encontrados em situação de maus-tratos na Vila Ferroviária, em Campo Grande, MS
Foto: Enviada pelo leitor Midiamax.

Presos sob sol e chuva, cinco cãezinhos desnutridos foram encontrados em situação de maus-tratos em Campo Grande, nesta terça-feira (26). Os tutores dos animais, que vivem na Vila Ferroviária, afirmaram que não possuem condições para cuidar da saúde deles.

Além de estarem presos a uma caixa, os cães estão abaixo do peso e com feridas. As correntes que prendem os animais estão ligadas a móveis velhos e enferrujados, com poucos centímetros, o que impede o livre movimento dos cachorros.

Assim, os cachorros foram encontrados por uma leitora do Jornal Midiamax, que preferiu não se identificar, enquanto fazia entrega de doações para casas carentes. No local onde parou para doar alimentos e utensílios de casa, ela avistou os animais.

Questionada por ela, a dona dos cães disse que não possui condições para mantê-los saudáveis. Entretanto, não justificou o porque os animais ficam presos em condições de maus-tratos.

A mulher, que fazia as doações, chegou a entrar em contato com o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) e a Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista). Porém, até o momento não recebeu resposta de qual o prazo para verificarem a ocorrência.

No vídeo gravado pela leitora é possível ver que os animais não conseguem nem mesmo dar alguns passos. Três deles estão presos em uma caixa de metal e outros dois estão em uma caixa d’água.

De acordo com a leitora que flagrou a situação, ela mesma não possui condições para resgatar tantos animais, pois não possui casa própria. Houve tentativa de falar com algumas entidades de resgate, mas ainda não foi realizado. Por fim, a reportagem solicitou posicionamento do CCZ e Decat, mas até a publicação da mesma não havia resposta.

Por Dândara Genelhú 

Fonte: Midíamax

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.