Vídeo desolador de mini chihuahua com problema neurológico nos mostra porque procriar cães é irresponsável

Vídeo desolador de mini chihuahua com problema neurológico nos mostra porque procriar cães é irresponsável

Quando Boogie, o Mini Chihuahua, tinha somente oito semanas de idade, ele foi levado para um abrigo por uma mulher que suspeitavam ser uma  “criadora de fundo de quintal”. Para aqueles não familiarizados com o termo, operações de criação de fundo de quintal também são conhecidas como  “fazendas de filhotes”, e elas são muito piores do que soam. Um criador de fundo de quintal tem somente um objetivo em mente: lucro.

Eles não se importam com a saúde e o bem-estar dos animais presos sob seus cuidados. Se o animal vai dar lucro, então ele é rapidamente vendido ou mantido para uma vida miserável de procriação forçada. Se o animal não é considerado lucro, ele é imediatamente descartado como inútil. E foi isso o que aconteceu com chihuahua Boogie em Palm Springs, Califórnia, EUA.

Além de seu adorável rosto e orelhas grandes e pontudas, a primeira coisa que o abrigo notou sobre o pequeno filhote era que ele ficava constantemente balançando e tremendo. O pobre cachorrinho não conseguia ficar de pé ou andar sem cair. Preocupadas, as pessoas bondosas do PAWsitive rescue o levaram a um veterinário para ser examinado. Infelizmente, Boogie foi diagnosticado com um sério transtorno neurológico que afetou permanentemente seu sistema nervoso. Felizmente para este pequeno lutador, seus pais adotivos se apaixonaram por ele e decidiram torná-lo um membro de sua matilha.

Boogie é somente um triste exemplo do por que a procriação irresponsável  é errada. Com o lucro como objetivo para as fazendas de filhotes, o cruzamento dentro da mesma família e a negligência com a saúde e o bem-estar dos animais correm soltos. Se você está considerando acrescentar um novo membro à sua vida, lembre-se da história de Boogie e adote, não compre.

Por Natasha Brooks / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: One Green Planet 


Nota do Olhar Animal: Os danos causados aos animais não se restringem aos provocados pelos “criadores de fundo de quintal”. A seleção genética artificial por si só já causa problemas muito graves a eles. Sem contar o dano causado pela coisificação dos animais, transformados em meras mercadorias e o impacto disto no tratamento dispensado aos cães, gatos, etc. Tudo isso para satisfazer a ambição de criadores e o egoísmo/futilidade de pessoas que querem porque querem ter animais com esta ou aquela característica específica, mesmo sabendo do sofrimento que este desejo provoca aos bichos adquiridos e também às matrizes, seus pais forçados a se reproduzirem muito além do que naturalmente o fariam. Leia matéria sobre as implicações da seleção genética de cães clicando aqui.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.