Vídeo: égua agoniza até morrer e moradora se desespera

Vídeo: égua agoniza até morrer e moradora se desespera

O animal morreu neste sábado (30), em Campo Grande, MS.

Por Geisy Garnes

Foram horas agonizando no sol, até que a égua morreu. Usada para puxar a carroça do tutor, o animal se machucou e a partir daí foi amarrado e abandonado em um terreno na Rua Praia Grande, no Bairro Buriti, para morrer, já que não tinha mais utilidade para o serviço.

A denúncia foi feita por uma moradora da região, que ao chegar para visitar a mãe neste sábado (30) notou a égua caída agonizando. A família fez o que pode, deu água para ela, ligou para as autoridades policiais, conversou com o tutor do animal, mas horas depois a égua morreu.

Para a equipe do Jornal Midiamax, a moradora, que preferiu não se identificar, contou que descobriu que a égua estava naquela situação a pelo menos dois dias. Ela teria sido deixada ao sol em virtude de uma fratura que a fez perder o movimento e não e não recebeu alimentação, ou água, nesse tempo.

Ao tentarem se aproximar do animal, os moradores foram avisados por um dos donos que era para deixar a égua onde ela estava, já que ela ia morrer e não tinha mais o que fazer. “Quando chegamos perto, o filho do tutor foi até lá e falou, em um tom agressivo, para gente cuidar da nossa vida e deixar a égua lá”, lembrou.

MS campogrande agonia egua1

A testemunha contou que o tutor da égua é carroceiro e tem outros animais, que também passam por maus-tratos. “todos dias amarram esses animais ao sol e deixam sem água, sem nada, isso não é justo. Meu medo é de acontecer o mesmo com outro animal”, afirmou a moradora.

“Eu passei lá agora, o dono tava desamarrando a corda do pescoço da égua. Por que isso agora? Por que não fez antes? É difícil como cidadão olhar e ver um animal agonizar, morrer sem água, sem nada, para mim é doloroso como ser humana, eu sinto isso”, lamentou.

Assim como a testemunha, o Jornal Midiamax entrou em contato com a PMA (Polícia Militar Ambiental, mas foi informado que resgates como o que deveria ser feito com a água são responsabilidade do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), que funciona de segunda-feira a sexta-feira.

O caso agora deve ser investigado pela Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e Proteção ao Turista)

Veja o vídeo aqui:

Fonte: Midiamax

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.