Chimpanzé de santuário em Sorocaba aparece fumando em vídeo — Foto: Reprodução

VÍDEO: Jovem dá cigarro para chimpanzé fumar em santuário de primatas em Sorocaba, SP; MP abre inquérito

O Ministério Público abriu uma ação cível na tarde desta quarta-feira (21) para apurar o caso do chimpanzé que aparece fumando em um vídeo no Santuário dos Primatas, em Sorocaba (SP).

Nas imagens, que viralizaram na internet, um jovem aparece conversando com outras pessoas enquanto o chimpanzé está com o cigarro aceso na boca. Os jovens também fazem piadas sobre o primata, que teria queimado a boca.

De acordo com o promotor de Justiça Jorge Marum, a ação, que foi filmada e publicada nas redes sociais, configura maus-tratos contra animal.

“A polícia e o Ministério Público vão trabalhar para identificar as pessoas que fizeram essa invasão ilegal e, em um segundo momento, para que sejam responsabilizados civil e criminalmente por isso. Será cobrada uma indenização dessas pessoas”, diz.

Em nota ao G1, o santuário afirmou que irá registrar um boletim de ocorrência sobre a invasão.

VÍDEO: MP vai investigar maus-tratos a chimpanzé de santuário que fumou cigarro em vídeo

A bióloga Nelli Mergulhão analisou o vídeo e reforçou três pontos: o primeiro deles é a integridade física do animal, que foi submetido aos maus-tratos. O segundo ponto apontado por ela é a segurança do local e o terceiro ponto é a integridade da pessoa que gravou o vídeo, já que o chimpanzé tem muita força e poderia tê-la machucado.

“É um absurdo, a gente ficou chocado de ver. Como um jovem consegue entrar em um espaço desse? Deve ter pulado um muro altíssimo, entrado em um lugar e ninguém ter visto. E que pode ter no mínimo dois prejudicados: o próprio jovem que poderia ter sido mordido pelo chimpanzé, isso é uma coisa comum, chimpanzés querem se defender; e o chimpanzé, que teve uma substância tóxica dentro do corpo dele e também pode ter queimado a boca, segundo eles mesmos falaram no vídeo”, diz.

Segundo o santuário, o chimpanzé que aparece nas imagens é um dos 52 primatas que estão no local. Ele foi identificado como sendo o Cláudio ou o Carlos e, em determinado momento do vídeo, ele começa a fazer movimentos repetitivos, o que sinaliza o estresse ao qual ele estava sendo submetido.

Em nota, o santuário informou que está tomando todas as medidas legais para garantir que as pessoas responsáveis sejam punidas. O santuário disse ainda que a segurança no local será reforçada.

Santuário dos Primatas fica na zona rural de Sorocaba — Foto: Reprodução/TV TEM
Santuário dos Primatas fica na zona rural de Sorocaba — Foto: Reprodução/TV TEM

O santuário não respondeu sobre a saúde do animal ou se ele vai passar por alguma avaliação de saúde, já que também teve a boca queimada pelo cigarro.

O complexo fica na zona rural de Sorocaba e é rodeado por sítios. Ele é filiado ao projeto GAP, uma ONG internacional que é reconhecida pelo seu trabalho de resgate aos animais em situação de maus-tratos.

O santuário acredita que o rapaz possa ter usado um dos imóveis para invadir o espaço e chegar até a área onde estão os animais.

O G1 tentou contato com o jovem que aparece nas imagens, mas não houve retorno.

Repercussão

Nas redes sociais, o vídeo causou indignação. A ativista Luisa Mell repostou as imagens afirmando que o santuário foi invadido por dois criminosos que deram “cigarro de maconha para o chimpanzé”.

“Esses animais vieram de circo, de zoo…todos vítimas de maus-tratos…são quase humanos, que foram escravizados durante toda a vida para nosso entretenimento. Deixem os animais em paz!”, escreveu.

A postagem teve milhares de comentários de pessoas condenando a atitude dos rapazes.

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: O GAP publicou nota sobre o crime e as providências que estão sendo tomadas. Veja íntegra abaixo:

Nota de esclarecimento sobre vídeo de homem dando cigarro para chimpanzé no Santuário de Grandes Primatas de Sorocaba

O Santuário dos Grandes Primatas de Sorocaba, afiliado ao Projeto GAP, vem a público esclarecer que no dia 20/08/2019 tomou conhecimento dos crimes cometidos por um homem identificado como Rafael de Almeida, que em companhia de ao menos uma pessoa teria invadido o santuário. O santuário é uma propriedade privada dedicada à reabilitação de animais, em sua maioria vítimas de maus tratos e que são provenientes de circos e zoológicos do Brasil e de outros países.

Colocando em risco sua própria vida e a integridade física dos animais ali residentes, o autor do crime colocou um cigarro aceso na boca de um dos chimpanzés (estima-se que seja o chimpanzé Claudio ou Carlos), que é uma espécie ameaçada de extinção. No vídeo, Rafael de Almeida e o cúmplice riem e zombam da cena, gargalhando pelo fato do chimpanzé parecer ter queimado a boca com o cigarro. Durante o próprio vídeo o chimpanzé já começa a fazer movimentos repetitivos, mostrando estar estressado com o ocorrido.

Burlando a segurança da propriedade, provavelmente acessada por meio de outra propriedade aos fundos do Santuário, além do crime de invasão, os autores cometeram crime ambiental de maus tratos aos animais, fazendo-o inalar substâncias tóxicas nocivas ao seu organismo. O santuário já está tomando TODAS medidas legais na esfera criminal e civil para punição dos responsáveis e reparação do dano causado à integridade dos animais ali residentes.

Atenciosamente,

Gerência de Comunicação – Projeto GAP Brasil/Internacional

Nota de esclarecimento 2

Complementando a nota de esclarecimento divulgada anteriormente, o Santuário dos Grandes Primatas informa que foi registrado na data de hoje, 21/08/2019, Boletim de Ocorrência sobre o ocorrido divulgado no vídeo do homem identificado como Rafael de Almeida. O BO foi registrado no 2º DP do Distrito Policial de Sorocaba, que dará início a um processo de investigação e punição pela série de crimes cometidos com o ato.

O Santuário também informa que o chimpanzé Claudio, vítima do crime em questão, felizmente se encontra bem, sem qualquer sinal de ferimento. Ele foi cuidadosamente avaliado pela equipe de veterinários do local para averiguação de qualquer malefício a sua saúde que pudesse ser decorrente do ato.

Em relação a medidas de segurança do santuário, um reforço feito a partir do ocorrido foi o fechamento das janelas dos recintos que fazem fronteira com a propriedade vizinha. É importante frisar que o local sempre priorizou a segurança dos animais e das pessoas, por meio das instalações e procedimentos dos profissionais, além de não abrir o local para visitação – o que também impactaria muito o bem estar dos animais.

Toda a área do santuário é cercada e contém avisos claros de que é uma propriedade particular, na qual não é permitida a entrada sem autorização. Foi averiguado que uma cerca que delimita a área do santuário de uma propriedade vizinha foi forçada, por onde provavelmente os criminosos fizeram a invasão. A equipe do santuário também localizou restos do fumo perto da janela de contato, o que também demonstra a maior probabilidade do ato ter sido cometido nos últimos dias.

Atenciosamente,

Gerência de Comunicação – Projeto GAP Brasil/Internacional

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.