Vídeo mostra adolescente lutando com onça após ser atacada

Vídeo mostra adolescente lutando com onça após ser atacada
Jovem não tinha treinamento para lidar com o animal (Reprodução/The Sun)

Uma adolescente, 16, entrou em luta corporal com uma onça, após ser atacada pelo felino. O vídeo, divulgado pelo The Sun, foi gravado no quintal de um milionário do Reino Unido, onde o animal é mantido em cativeiro. A jovem, que não tem treinamento para lidar com grandes felinos, foi ajudá-lo no cuidado com a onça quando o ataque ocorreu.

Assista ao vídeo clicando aqui.

As imagens mostram o momento em que a garota entra na jaula do animal para fazer os cuidados que pretendia. O felino avança na garota, que reage e tenta lutar. No desespero para se defender, a garota desfere tapas e usa a porta da jaula para agredir a onça.

Jovem foi levada ao hospital com arranhões e mordidas. (Reprodução/The Sun)

No entanto, o animal não cede e a luta continua do lado de fora da jaula. A adolescente se esforça para conter o felino, mas a onça continua a segurá-la com as patas e com a boca. O ataque só para quando a garota consegue se fechar dentro de uma outra jaula e a onça fica no jardim.

Onça é parte da coleção de ‘animais exóticos’ de um milionário britânico. (Reprodução/The Sun)

Segundo o jornal, a menina foi contratada pelo milionário Reece Oliver para ajudar com os cavalos na fazenda. No dia do ataque, ele pediu que a adolescente ajudasse com a onça, mesmo que ela não fosse capacitada para lidar com esse animal. A garota precisou de tratamento médico para os arranhões e mordidas, mas não sofreu ferimentos graves.

Pets exóticos

A onça é parte da coleção de animais selvagens de Reece Oliver, que incluem também leões africanos, cangurus e pinguins. Apesar do milionário ter autorização para manter os animais em cativeiro, a divulgação do vídeo do ataque deixou os vizinhos do homem preocupados. “Esse ataque era inevitável. É a consequência de ter uma equipe sem treinamentos e leões no quintal”, disse um deles ao The Sun.

Os vizinhos temem que uma fuga do cativeiro aconteça. “Um leão a solta poderia causar uma tragédia. Não dá nem para imaginar o que aconteceria se uma criança pequena fosse atacada”, comentou um outro morador da região.

Por outro lado, Reece se diverte brincando e abraçando os animais. “Eu penso neles como minhas crianças”, declarou.

 

Por Guilherme Gurgel, edição de Roberth Costa

Fonte: BHAZ


Nota do Olhar Animal: Animal silvestre não é “pet”, não é brinquedo, não é um objeto para ser “colecionado”. Condenados à prisão perpétua, estressados e maltratados, não é de se esperar que tenham outra reação. Eles não precisam de “equipes treinadas” em seus cativeiros e sim serem libertados dos mesmos. Ataques de animais a humanos e vice-versa em zoos são recorrentes.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.