SC Criciuma pitbull vira-lata H

Vídeo mostra ataque de pit bull treinado para matar vira-latas em Criciúma, SC

Um vídeo, que circula no Facebook, mostra um cão da raça pit bull nos fundos de uma casa dominando um vira-lata. Durante quase toda a filmagem, a vítima fica por baixo do agressor e grita de pavor algumas vezes. Em determinado momento, o pit bull avança e sacode violentamente o vira-latas, enquanto morde no pescoço e na cabeça. O homem grita “Sai, Guimi, sai!”, mas seu cão continua sobre o vira-lata e nada é feito para defender o pobre animal. Talvez a ordem não seja para o pit bull, mas para outro cão que estava assistindo ao lado a cena violenta, aparentando um ar de impotência.

SC Criciuma pitbull vira-lata

Em postagens e comentários no Facebook, há indicação de que o tutor do pit bull é um empresário do ramo de panificação em Içara, no sul do Estado, e que ele treinaria o cão para matar outros.

Durante o vídeo, o homem conversa com a pessoa que filmava os cães. Há uma cena mostrando uma porta de vidro quebrada, com seus cacos no chão, enquanto ele comenta “(…) quebraram o vidro da porta, olha aí, pô!”.

A filmagem é interrompida sem mostrar o desfecho do ataque.

O vídeo está causando indignação à maioria das pessoas que o assiste, com frequentes pedidos de que se faça justiça e o tutor do cão seja punido. Em um comentário postado no Facebook, consta que alguém de uma ONG de proteção aos animais foi até a casa do tutor do pit bull, e que ele teria se escondido, por causa da repercusão negativa que o vídeo está tendo.

A ONG Amigo Bicho registrou um Boletim de Ocorrência e a polícia civil deve investigar o caso, que se enquadraria como maus-tratos, na lei de crime ambiental, cuja pena varia de três à seis meses de detenção.

O tutor do pit bull disse à RBS TV de Criciúma que o vira-lata caiu em seu terreno. Ele negou que pega cães para serem atacados pelo seu e reconhece ter agido errado por não ter separado os animais.

Fonte: Rádio Criciúma

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.