Vídeo mostra vacas sendo agredidas e queimadas em uma fazenda leiteira de Flórida, nos EUA

Vídeo mostra vacas sendo agredidas e queimadas em uma fazenda leiteira de Flórida, nos EUA
Foto: Miami Herald

A Missão de Recuperação Animal, com sede em Miami Beach, publicou um vídeo de sua investigação de abuso encoberto em uma fazenda leiteira da Flórida Central.

O vídeo gráfico, com imagens perturbadoras de vacas sendo cruelmente agredidas, apunhaladas e queimadas, foi publicado por investigadores entre agosto e outubro, depois de que McArthur Dairy, um dos maiores produtores de leite do estado, contratou os investigadores, o Palm Beach Post informou.

Os agentes prenderam três funcionários no mês passado em McArthut Farm em Okeechobee. Os funcionários de McArthur Dairy que foram presos sob acusações de crueldade para com os animais moram em Okeechobee e foram vistos no vídeo cometendo abusos, de acordo com o xerife do condado de Okeechobee, Noel Stephen, informou o Post. Ele emitiu uma ordem de prisão para um quarto funcionário.

Acusados: Mario Hernández de 31 anos, supervisor assistente, preso por um delito grave em terceiro grau por crueldade para com os animais. As autoridades disseram que ele golpeou uma vaca no rosto com um tudo de PVC afiado. Fernando López de 45 anos, um cuidador, e Naul Dorantes-García de 36 anos, enfrentam acusações de delitos menores de crueldade para com os animais em primeiro grau. São acusados de agredir as vacas em seus ubres com um tubo de PVC.

É a terceira fazenda de laticínios na Flórida que causou preocupação pelo abuso do gado, depois das recentes investigações de crueldade animal nas fazendas leiteiras Burnham e Larson, informou o Miami Herald em novembro. Uma quarta fazenda, Davie Dairy, também está sendo investigada pela delegacia de Okeechobee, informou o Palm Beach Post.

“Isto era uma ocorrência regular, golpeando ou apunhalando aos animais com isto, todos os dias”, contou Richard Couto da Missão de Recuperação Animal à WSVN enquanto segurava uma lança improvisada. Se os homens não tivessem lanças disponíveis, disse, “pegariam PVC e deixariam afiado. Estavam apunhalando nas áreas reprodutivas com isto, no rosto, no flanco e nos úberes”.

O vídeo mostra os funcionários apunhalando as vacas com lanças com facas e um funcionário de uma fazenda usando um maçarico em várias vacas. O grupo de direitos dos animais disse que os funcionários fizeram isso como um atalho para desinfetar as tetas antes da ordenha, arrancando os pelos dos ubres das cavas.

“São queimadas vivas”, disse Couto à estação.

Os funcionários de McArthur também foram acusados de utilizar um sistema de polias mecânicas para tirar os bezerros das mães prenhas entes de que elas tivessem a oportunidade de se dilatar por completo. “As mães que têm seus bebês são arrancados automaticamente no momento em que nascem”, contou Couto à WSVN. “Imagine que é o momento mais frágil de sua vida e nem consegue se mexer direito e já tem um funcionário que chega perto dele com esta lança e inflige mais dor e miséria”.

McArthur Farms é membro da Southeast Milk Inc, uma cooperativa láctea de Flórida que fornece leite para McArthur Dairy e outros provedores.

A Missão de Recuperação Animal disse que a fazenda é propriedade e está sob controle de Dean Foods, mas a companhia negou essa informação. Dean Foods vende produtos que incluem TruMoo, Country Fresh, Brown’s Dairy e DairyPure.

“Queremos deixar claro que Dean Foods não é dono nem controla nenhuma fazenda leiteira. Apesar de nos orgulharmos de possuir a marca McArthur Dairy e a planta processadora de laticínios localizada em Miami, o nome ‘McArthur’ é completamente fortuito”, disse Dean Food em um comunicado. “Dean Foods não tem interesse na propriedade e de nenhuma maneira está envolvido na administração de McArthur Farms”.

A declaração, publicada em Palm Beach Post pelo porta-voz Jamaison Schuler, disse que Dean Foods “está horrorizado pelos comportamentos que foram mostrados no vídeo publicado pela ARM”.

A leite marca McArthur é vendida em Publix Super Markets, Target e Walmart.

Mês passado, Publix publicou uma declaração e se dirigiu ao Twitter para abordar o vídeo.

“Recentemente ficamos a par de um vídeo adicional, que foi gravado em McArthur Farms. Essas imagens nos perturbam, assim como nos perturba a crueldade mostrada para com os animais. Assim que ficamos sabendo desses comportamentos no vídeo, suspendemos de imediato a recepção de produtos de leite crua dessa fazenda de McArthur”, disse Publix.

A declaração de Walmart também disse: “Não toleramos o maltrato de animais e estamos trabalhando com nossos fornecedores para investigar de maneira rápida e exaustiva as ações que foram mostradas no vídeo e tomar as medidas adequadas para ajudar a garantir que este comportamento inaceitável não continue. O vídeo é difícil de assistir. Levamos à sério os direitos dos animais e temos políticas rígidas para responsabilizar nossos fornecedores”.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: Centro Tampa 


Nota do Olhar Animal: Já publicamos outras matérias sobre este caso, mas a força desta imagem e por ela expressar dramaticamente o tratamento dispensado aos animais na maioria das fazendas leiteiras, resolvemos veicular mais este texto. Sempre lembrando que a forma como os animais são tratados são um agravante em relação ao dano maior, ao maltrato derradeiro, que é o moralmente indefensável abate, lembrando que todas as vacas leiteiras são mortas ao final de seu ciclo de produção.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.