Vídeo reproduz em humanos o sofrimento causado por fogos de artifício em animais

Vídeo reproduz em humanos o sofrimento causado por fogos de artifício em animais
Reprodução

Para conscientizar sobre o problema, a seguradora peruana Rimac submeteu seres humanos a sons estridentes, numa iniciativa partilhada com o hashtag #CEROCohetones (zero rojões).

Os voluntários relataram sentimentos de ansiedade, perturbação, nervoso, caos emocional e taquicardia. E o ruído que mais causou sofrimento foi o estampido dos fogos de artifício. “Foi quando estouraram os fogos artificiais. Foi como se estivessem estourando o meu tímpano”, relatou uma mulher.

O vídeo em espanhol, que circulou nas redes sociais, explica que os cachorros conseguem ouvir até três vezes mais alto que os humanos e termina com um cão entregando um envelope às pessoas. Nele, a pergunta: agora que você sabe disso, voltaria a usar fogos?

No dia 14 de dezembro de 2019, um post sobre história de uma cadela que morreu abraçada no dono após ter um ataque cardíaco em função de fogos de artifício teve grande repercussão. O caso ocorreu em Esquel, na Argentina.

De acordo com o relato de Antonella, a mascote, chamada pela família de Magui, morreu nos braços do seu filho, que tentou amparar o animal. “Era velhinha e tinha terror a fogos de artifício”, disse a respeito da cadela.

Fonte: Postal / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.