VÍDEO: Servidor municipal é afastado por suposto abuso sexual contra cachorro na Serra Catarinense

VÍDEO: Servidor municipal é afastado por suposto abuso sexual contra cachorro na Serra Catarinense
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Um servidor municipal da prefeitura de Ponte Alta, na Serra Catarinense, foi afastado por um suposto abuso sexual contra um cachorro dentro de uma creche do município. Câmeras de monitoramento registraram o momento em que o homem permanece na sala de aula com o animal, no último dia 21 de fevereiro.

No vídeo, gravado às 00h34min, é possível ver o homem colocando o cachorro, que tinha boca e patas amarradas, em cima de uma mesa da unidade escolar e passando um objeto no ânus do animal. Minutos após, ele leva o objeto em outra sala e a gravação é interrompida.

Confira o vídeo gravado pela câmera de segurança do momento do suposto abuso

Procurado pela reportagem da Rádio Clube de Lages, o prefeito de Ponte Alta, Edson Júlio Wolinger, afirmou que recebeu a gravação e chamou o servidor municipal para prestar esclarecimentos sobre o caso. “Ele alegou que não estava fazendo isso. O cachorro é macho e é dele. O cachorro tinha brigado e ele estava passando, não sei se era margarina, nos machucados. Isso é o que ele alegou”, disse Edson.

O prefeito afirmou ainda que o homem apresentou o cachorro às autoridades quando foi convocado na prefeitura, para demonstrar que ele não teria sido abusado. Edson afirmou também que demitiria o servidor, mas o advogado teria o orientado de que não se tratava de abuso sexual. Sem parecer técnico, o prefeito disse à reportagem que o animal não passou por exame de corpo de delito e o funcionário foi afastado do cargo por 30 dias.

*Atualização

Na manhã desta quarta-feira (1), um perfil de rede social publicou um vídeo onde o servidor municipal afirma que não cometeu nenhum crime e estava auxiliando o animal ferido.

Por Carolina Sott

Fonte: SCC10


Nota do Olhar Animal: A zoofilia é um tipo de exploração animal que causa danos aos bichos e que muitas vezes os leva à morte. Lamentavelmente, este tipo de crime de maus-tratos é subnotificado no Brasil e até mesmo protetores de animais se omitem na divulgação e enfrentamento da questão por motivos moralistas, prejudicando assim os animais. A despeito dos maus-tratos aos animais já serem um crime previsto na legislação brasileira, em 2015 foi apresentado na Câmara dos Deputados um projeto de lei que especifica a zoofilia como tal. Este, porém, foi apensado ao PL 7199/2010 que, por sua vez, acabou apensado ao PL 11210/2018, originado no Senado Federal. Está tramitando na Câmara também o PL 3250/2020 , que busca criminalizar e definir como hediondos atos de zoofilia.