Vitória! Camboja proíbe os cruéis passeios sobre as costas de elefantes no templo de Angkor Wat

Vitória! Camboja proíbe os cruéis passeios sobre as costas de elefantes no templo de Angkor Wat

O Camboja é um destino mundialmente famoso, especialmente por causa do maravilhoso templo de Angkor Wat, onde os viajantes costumam chegar montados em elefantes. Pelo menos até então! Porque agora as autoridades de Apsara decidiram proibir os tours sobre os elefantes, prevendo a eliminação definitiva dessa atividade para o próximo ano.

O porta-voz local Long Kosal declarou à AFP:

“O uso de elefante para comércio não é mais apropriado.”

De fato, quase um terço dos animais já foram transferidos para uma floresta longe do templo, a fim de permitir que vivam de acordo com a natureza deles.

O país tomou essa decisão após inúmeras pressões de grupos a favor do bem-estar animal e até do operador turístico Intrepid Travel, que oferece viagens ao Camboja, e que há anos decidiu eliminar os passeios de elefantes de seus pacotes.

Depois de ter examinado as práticas de muitas empresas no período de 2010-2011, ajudado pela World Animal Protection, a Intrepid Travel, percebeu que muitos elefantes estavam sendo maltratados e torturados para serem domesticados para o trabalho com os turistas. Uma prática injusta e cruel que convenceu a empresa, em 2014, a não oferecer mais passeios de elefante.

Os maus-tratos aos elefantes para fins turísticos

A PETA Ásia descreve os maus-tratos a elefantes na indústria do turismo como um mundo cruel, onde os animais são tratados como escravos, retirados ainda muito pequenos da natureza, depois que as mães são mortas, para se tornarem submissos a homens que os torturam até que eles obedeçam.

Segundo a PETA, dos 45.000 elefantes asiáticos que permanecem na Terra, somente na Tailândia, de 3.000 a 4.000 deles são mantidos prisioneiros para serem vendidos para diversos fins, incluindo o turismo.

Não é verdade que eles são salvos de condições terríveis e nem mesmo é verdade que eles são docemente domesticados, como declaram aqueles que os exploram. A PETA afirma, pelo contrário, que os elefantes se submetem ao controle humano através de práticas cruéis que servem para deixá-los com medo, até que acabem por realizar as tristes tarefas às quais são obrigados.

Uma vez escravizados, eles trabalham até o ponto da exaustão para satisfazer a indústria do turismo, muitas vezes privados de água e comida.

Não apenas na Tailândia, mas também no Vietnã, Laos, Mianmar e Camboja elefantes são explorados para entretenimento humano.

Felizmente esta prática cruel está começando a ser banida! Esperamos que outros países tomem o exemplo do Camboja!

Fonte: Green Me

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.