Vizinha denuncia uma casa com cachorros mortos e abandonados na Argentina

Vizinha denuncia uma casa com cachorros mortos e abandonados na Argentina

No meio do conflito que a zona sul argentina atravessa com os vizinhos acumuladores, a situação agrava-se agora com uma denúncia nas redes sociais sobre uma casa no bairro Intersindical com vários cães abandonados e até mortos. Segundo depoimento da vizinha, a casa pertence a uma advogada que, quando o pai morreu, deixou de morar ali e se mudou para outra casa no mesmo bairro sem levar aqueles animais.

Leilén Resuche foi quem compartilhou fotos chocantes no Facebook nas quais você pode ver os cachorros comendo uns aos outros, você também pode ver o crânio de um e uma perna separada. Há também vídeos que mostram o abandono da casa e os latidos de partir o coração dos animais.

Argentina: Vizinha denuncia uma casa com cachorros mortos e abandonados

“ZONA SUL, BARRIO COLÓN!!! Uma senhora adotou cachorrinhos e os deixou à deriva!!! Por favor preciso de ajuda, a denúncia foi feita mil vezes e a polícia não faz nada!!!”, publicou ela em desespero. Os vizinhos rapidamente atestaram esta situação e nos comentários garantiram que os cães choram e ladram desesperadamente.

Em comunicação com El Tribuno, a jovem disse: “Hoje a situação não é nada, embora o Bem-Estar Animal estivesse presente, não temos respostas do Procurador nº 3 nem de ninguém para poder invadir aquele local e retirar aqueles cães”.

As equipes de resgate de “Animaladas Salta” conseguiram retirar um dos cães da casa para hospitalizá-lo devido ao seu grave estado de saúde e a dona da casa apareceu exigindo que o cão lhe fosse devolvido.

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Uma publicação compartilhada por @animaladassalta

“Estamos aguardando que o juiz Escalante emita o mandado de busca para levar esses cães ao abrigo Nicolás Mansilla e colocá-los para adoção”, explicou a jovem.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: El Tribuno

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.