Voluntários fiscalizam abandono de gatos na Represa de São José do Rio Preto, SP

Voluntários fiscalizam abandono de gatos na Represa de São José do Rio Preto, SP

Em dezembro, mulher foi multada em R$ 18 mil pela Polícia Ambiental. Protetores de animais compram ração e medicamentos para os gatos.

Um grupo de amigos montou uma equipe de fiscalização contra o abandono de gatos na Represa Municipal, de São José do Rio Preto (SP). Voluntários ficam em pontos estratégicos para flagrar o abandono dos animais, que é considerado crime de maus-tratos.

Em dezembro, uma mulher foi multada em R$ 18 mil pela Polícia Ambiental ao abandonar uma gata com cinco filhotes no local. Ela foi flagrada pelo grupo de voluntários, que informou a polícia. Muitos gatos são deixados na Represa.

A protetora dos animais Elisabeth Winning diz que quase todos os dias atravessa a cidade de ônibus para cuidar dos gatos que ficam na Represa. “Faz muito tempo que está assim. Há oito anos cuido dos gatos abandonados e a situação não mudou em nada. Tenho muita pena desses gatos largados aqui e, por isso, venho dar água e comida a eles. Gostaria muito que o município nos ajudasse”, afirma.

SP RioPreto voluntarios abandono gatos

Elisabeth conta com a ajuda de outros protetores. Juntos eles compram ração, medicamentos para os gatos doentes e ainda pagam as despesas em clínicas particulares. O Centro de Zoonozes de Rio Preto mantém veterinários, mas não oferecem consultas, apenas castração gratuita.

As protetoras criticam a falta de apoio da prefeitura no trabalho com os animais abandonados. “Há sete anos pedimos câmeras de fiscalização à prefeitura para coibir o abandono, mas até agora nada foi feito.”

A assessoria de imprensa da prefeitura de Rio Preto nformou que não há previsão para instalar esses equipamentos porque existem postos da Polícia Militar e da Guarda Municipal na região da Represa. Quando os voluntários flagram alguém deixando gatos na Represa, anotam as placas dos veículos e outras informações para passar para a Polícia Ambiental.

Segundo o capitão Alessandro Daleck, abandonar um animal é considerado maus tratos e é crime. “Quem faz isso pode ser preso”. Com a apoio da polícia, as protetoras esperam acabar com o abandono de gatos na represa.

Em setembro de 2015, o Ministério Público entrou no caso porque muitos gatos que são abandonados na represa desapareceram. O inquérito foi arquivado. Em 2010, um outro problema chamou a atenção: um laudo da Unesp comprovou que dezenas de gatos morreram envenenados.

SP RioPreto voluntarios abandono gatos2

Fonte: G1

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.