Votuporanga (SP) reforça distribuição de coleira que combate a leishmaniose

Votuporanga (SP) reforça distribuição de coleira que combate a leishmaniose

Cerca de 13 mil unidades já foram entregues à Secretaria de Saúde. Em primeira etapa, projeto encoleirou pouco mais de 10 mil cães.

SP votuporanga encoleiramento7589

Com mil casos de leishmaniose confirmados este ano, a prefeitura de Votuporanga (SP) reforça campanha contra doença na cidade. A segunda etapa do encoleiramento de todos os cães do município para o controle da leishmaniose visceral canina já começou. As coleiras repelentes à base de deltametrina 4% foram disponibilizadas pelo Ministério da Saúde por meio do projeto desenvolvido pelo próprio órgão federal, Secretaria Municipal de Saúde, IAL (Instituto Adolfo Lutz) e Unifev.

Aproximadamente 13 mil unidades já foram entregues à Secretaria de Saúde para este segundo ciclo, que terá início na zona norte. Os postos de encoleiramento estão instalados no Pozzobon, Parque das Nações, Pró-Povo e Residencial Prado e Colinas. Portanto, os moradores deverão levar seus cães para serem encoleirados em um dos postos, das 8h às 12h.

SP votuporanga cachorrocommulhernoparque2O projeto vem sendo realizado no município desde fevereiro, encoleirando pouco mais de 10 mil cães. De acordo com Élcio Sanchez Estevez Júnior, veterinário da Secretaria de Saúde, a queda na eficácia da coleira é comprovada após seis meses de uso. “Nesta etapa faremos a substituição dos cães encoleirados no início do ano”, e acrescenta, “os animais que não receberam a coleira no primeiro ciclo, poderão ser encoleirados normalmente”, destaca Júnior.

Até dezembro de 2015, estão previstas duas novas trocas de coleira, o que deverá ocorrer a cada seis meses. Ao final do projeto, Votuporanga será o único município a ter recebido mais de 60 mil coleiras do Ministério da Saúde e único a adotar a oferta de encoleiramento para todos os cães residentes. “A coleira é hoje a única medida eficaz que, comprovadamente, protege o animal da picada do mosquito palha, transmissor da leishmaniose”, explica o veterinário.

Para ingestão acidental da coleira ou dúvidas e informações relacionadas ao uso do produto, deve-se entrar em contato pelo 0800-70 70 512 (MSD Saúde Animal).

Indicações sobre uso correto da coleira

  • Não dar banho ou tosar o cão antes de levá-lo para o encoleiramento. Após a tosa, aguardar 48 horas para colocar a coleira;
  • Não é necessário retirar a coleira para o banho;
  • Cães menores de três meses de vida não devem ser levados para os postos para serem encoleirados;
  • Gatos e outros pets NÃO podem usar a coleira.

Cronograma dos postos de encoleiramento:

  • De 22 a 26, das 8h às 12h – Espaço Empresarial “David Mendonça Pontes” / Praça Bezerra de Menezes / Praça Santa Luzia / Vigilância Ambiental
  • Dia 27, das 8h às 12h – Espaço Empresarial “David Mendonça Pontes”
  • De 29 a 3 de outubro, das 8h às 12h – Consultório Municipal “Joaquim Belarmino Vieira”
  • 29 a Setembro a 1º de Outubro, das 8h às 12h – Centro Comunitário da Vila Carvalho
  • 2 e 3 de outubro, das 8h às 12h – Bairro Rural do Cruzeiro
  • 4 de outubro, das 8h às 12h – Vigilância Ambiental

Fonte: G1

 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.