Zâmbia suspende abate de hipopótamos após protestos de ativistas dos direitos dos animais

Zâmbia suspende abate de hipopótamos após protestos de ativistas dos direitos dos animais

Por Chris Mfula / Tradução de Alice Wehrle Gomide

As autoridades de vida selvagem da Zâmbia disseram no último dia 14 que suspenderam o abate controlado de até 2.000 hipopótamos pelos próximos cinco anos, seguindo as preocupações dos ativistas dos direitos dos animais que descreveram a ação como caça aos troféus.

O Departamento de Parques Naturais e Vida Selvagem da Zâmbia disse que começou o abate de hipopótamos após uma nova pesquisa ter mostrado que os níveis da água do rio Luangwa estavam “baixos e insuficientes para suportar a população de hipopótamos, especialmente na época de seca”.

A Zâmbia possui entre 42.000 e 50.000 hipopótamos, uma população que o Departamento de Parques Naturais e Vida Selvagem diz não poder ser suportada pelos níveis da água no vale Luangwa, onde a maioria dos animais está localizada.

A ONG britânica Born Free disse em seu website que a racionalização científica para matar até 2.000 hipopótamos, quando sua população em toda a região sul-africana fica em 80.000, era questionável.

“Eu peço às autoridades que suspendam a matança com efeito imediato”, o presidente e cofundador da Born Free, Will Travers, disse em uma postagem no website da ONG.

Os níveis da água dos rios e lagos na Zâmbia caíram após a prolongada seca que ameaça plantações ao redor da região sul-africana, onde as Nações Unidas alertaram que 14 milhões de pessoas passam fome.

Fonte: Reuters

MAIS NOTICIAS

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.