Zimbábue exporta mais de 30 filhotes de elefantes selvagens para zoológicos chineses

Zimbábue exporta mais de 30 filhotes de elefantes selvagens para zoológicos chineses

Dois meses atrás, em uma conferência na Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Selvagens (CITES), a exportação de elefantes selvagens da África para zoológicos foi proibida. Foi uma decisão monumental com o objetivo de proteger muitos elefantes do sofrimento em cativeiro. O lugar dos elefantes não é em zoológicos. O lugar deles é na natureza em seu habitat natural onde eles podem andar livremente e formar relacionamentos sociais com sua manada. O cativeiro em zoológicos somente faz com que os elefantes sofram emocional, física e psicologicamente.

Entretanto, apesar dessa informação, os elefantes ainda são tratados como mercadoria e levados de seus lares para serem enviados a zoológicos e circos para o entretenimento de humanos. A proibição do CITES tinha como objetivo proporcionar aos elefantes africanos selvagens alguma proteção contra tal crueldade. Mas, mesmo assim, o Zimbábue teve recentemente uma decisão devastadora e conivente.

A proibição somente entra em vigor no dia 26 de novembro. O Zimbábue se aproveitou disso e exportou mais de 30 filhotes de elefantes capturados na selva para zoológicos chineses no dia 24 de outubro, de acordo com a Humane Society International (HSI).

A HSI contou ao One Green Planet que a Sociedade Nacional do Zimbábue para a Prevenção da Crueldade Contra Animais (ZNSPCA), apoiada pela HSI África, Advocates4Earth e Sibanye Animal & Welfare Conservancy Trust, estavam preenchendo os papéis judiciais para impedir isso quando souberam que os elefantes já tinham sido exportados. Estes jovens elefantes eram mantidos no Parque Nacional Hwange por quase um ano e, já que o Zimbábue exportou 108 elefantes jovens para zoológicos na China desde 2012, grupos ativistas dos direitos dos animais tentavam proteger esses elefantes. 

Jovens elefantes capturados da selva são mantidos em cativeiro por autoridades do Zimbábue enquanto aguardam seu envio para a China. (Imagem: Cortesia de Humane Society International)

A bióloga especialista em elefantes, Audrey Delsink, diretora da Humane Society International África, disse: “Nós nos sentimos revoltados e de coração partido com as notícias hoje de que as autoridades do Zimbábue enviaram estes pobres elefantes bebês para fora do país. O Zimbábue mostra um descaso total pelo espírito da proibição do CITES, assim como ignora a crítica local e global.

Condenar esses elefantes a uma vida de cativeiro em zoológicos chineses é uma tragédia. Todos nós trabalhamos por meses para tentar impedir que esses elefantes fossem enviados porque tudo que os espera na China é uma vida de privação monótona em zoológicos e circos. Como bióloga especialista em elefantes acostumada a observar estas criaturas magnificentes em seu habitat natural, estou devastada com esse resultado. Estes animais deveriam estar andando pela natureza com suas famílias, mas, ao invés disso, foram roubados de suas mães por mais de um ano e agora foram vendidos para uma vida de cativeiro”.

Se você quiser falar pelos elefantes, pode assinar esta petição. Tinha como objetivo impedir o envio dos elefantes para os zoológicos chineses. Mas nunca é tarde demais e, acrescentando sua voz, você pode ajudar a mostrar a urgência desta situação, e algum dia esses elefantes possam ser enviados para um santuário. Grupos ativistas dos direitos dos animais não desistem facilmente e continuarão a lutar pelos elefantes.

Por Sharon Vega / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: One Green Planet 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.