Zoológico do Rio: OAB quer ver projeto e convocar audiência pública

Integrantes da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB/RJ, reuniram-se nesta quinta –feira (21) pela manhã, e em decisão unânime resolveram reivindicar que as empresas concorrentes no projeto de privatização do Zoológico do Rio, apresentem o novo modelo de gestão, com cronograma de obras e outras especificações.

Para Reynaldo Velloso, presidente da CPDA, é fundamental a discussão do projeto: “ conversei com os Coordenadores das Subcomissões de animais silvestres, animais marinhos e animais exóticos da Comissão  e acertamos esta solicitação. Queremos participar com ideias e sugestões, pois não podemos perder este momento único de mudarmos o modelo do zoológico, que como todos no país, é atrasado”. “A ideia do entretenimento e da educação é caduca. Hoje, a única coisa que se aprende nos zoológicos é o sofrimento”,finalizou.

Velloso explicou que na savana um grande felino tem a seu dispor, cerca de 300 km2 para percorrer, mas estes espaços nas  jaulas- prisões, não passam de 80m2, o que ele considera um absurdo e uma crueldade. “ Existem os bioparks, como o  Parque Animal de San Diego, na Califórnia. São parques enormes onde os animais ficam soltos e as visitas são restritas. Podemos pensar em um modelo semelhante”, disse.

Reconhecendo que os animais aprisionados há muitos anos, não podem retornar às suas origens, por questões de adaptações, a Comissão quer que  o novo modelo a ser implantado só aceite animais  para reabilitação e reintrodução na natureza ou, ainda, aqueles não passíveis de reintrodução como os feridos gravemente, os mutilados, os retirados de circos e de instalações  domésticas e outras inapropriadas.

A Comissão pretende também, após conhecer o projeto, convocar uma Audiência Pública para discuti-lo com a sociedade. Os advogados entendem que podem receber boas sugestões e acrescentar na proposta para a revitalização do espaço.

Fonte: Jornal do Brasil

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.