Zoológico no México é investigado e encontram animais abandonados e mortos

Zoológico no México é investigado e encontram animais abandonados e mortos

O Procurador Geral da Justiça de Tamaulipas, no México, cumpriu uma ordem de busca, solicitada pelo Ministério Público, no “Parque Recreativo e Ecológico, Aventura Animal, Animal Adventure”, expedida por um juiz que encontrou provas suficientes para efetuar a mesma.

Agentes da Polícia Investigadora de Reynosa cumpriram o mandato derivado das investigações feitas após uma denúncia anônima por privação da vida, maus tratos ou crueldade animal no referido local.

Os investigadores encontraram as instalações abandonadas, os animais sem comida e água, além de um babuíno sem vida e um filhote de tigre de bengala com problemas para ficar de pé.

Ao realizar a busca, os agentes da Polícia Investigadora encontraram as seguintes espécies:

– 3 babuínos, um deles já morto
– 4 tigres, um deles de cor branca
– 2 pumas, uma negra e uma marrom
– 2 leões (um labino e outro africano)
– 1 jaguar
– 4 águias em jaulas
– 2 macacos-aranha
– 2 ursos negros e 1 marrom
– 1 cobra píton
– 7 bovinos, entre eles um bezerro
– 7 cavalos
– 13 coelhos
– 4 guaxinins
– 3 lhamas
– 2 búfalos americanos
– 3 avestruzes
– 26 aves, incluindo perus, pavões, galinhas de angola, pombas, galos e pintinhos
– 4 veados
– 2 cães husky siberiano
– 1 guaxinim branco
– 5 araras

Os agentes da Polícia Investigadora localizaram, em uma adega do local, 13 sacos de plástico transparente contendo em seu interior erva verde e seca, com as características próprias de maconha, com peso a ser determinado, e um saco de plástico transparente com 10 sacos de 5 x 3 centímetros, contendo um pó branco que parece com cocaína.

Imediatamente avisaram a Comissão Estatal para a Conservação e o Aproveitamento Econômico da Vida Silvestre em Tamaulipas, para que sejam avaliadas as diversas espécies, para que recebem atenção médica e depois serem designadas para algum local mais apropriado para sua espécie.

Cabe sinalizar que o “Parque Recreativo e Ecológico, Aventura Animal, Animal Adventure” exibia em suas instalações uma licença que concedia autorização para operar como zoológico particular por três anos, com data de 23 de junho de 2015.

Por José Alfredo Liceaga / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: El Cinco

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.