US losangeles Frankie thumb

Zoológicos são incompatíveis com o bem-estar animal

Tradução de Maria Thalia

US losangeles Frankie

Esta foto é de Frankie, um chimpanzé ator do Griffith Park Zoo em Los Angeles, de 1953. A legenda deixa transparecer o desprezo dado aos animais mantidos em cativeiro em péssimas condições, onde se lê: “A chegada de novos animais ao Griffith Park Zoo é muito perturbadora para Frankie, o chimpanzé. É muito barulho”, comenta, ao passo o que o animal acende um cigarro e decide ignorar os barulhentos elefantes.”. Que divertido deve ter sido assistir a um chimpanzé posando de bad-boy em um filme em preto e branco.

Antes de existirem os movimentos de proteção aos direitos e o bem-estar dos animais, muitos já se sentiam incomodados com a evidente crueldade, entretanto, não havia ativismo organizado em prol da causa. Esta foto repugnante era considerada engraçada, em vez de constituir um chamado para fechar as malditas portas desse tipo de estabelecimento. Embora o Griffith Park Zoo tenha sido fechado em 1966, os animais foram transferidos para outro zoológico. Não há registros sobre o que aconteceu com Frankie.

Há uma mitologia associada ao Griffith Zoo, segundo a qual haveria uma maldição lançada sob o terreno por uma jovem mulher que teria sido deixada de fora do testamento sobre as propriedades de seu tio, um suposto barão de terras. Diz-se que o local tem sido cenário de incêndios, assassinatos, pragas e pestes. Porém ao que parece, e a julgar por Frankie, os animais foram o que receberam a maior parcela da maldição.

Muitos defendem que zoológicos são usados para a conservação e para a luta contra a extinção de animais. Esta afirmação realmente funciona como um bom relações-públicas para tais estabelecimentos, entretanto, existem muito mais evidências de crueldade contra os animais do que de sua conservação.

Fonte: Mary Scully Reports

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.