Canil Municipal de Juiz de Fora (MG) tem mais de 500 animais disponíveis para adoção

Processo é feito a partir de questionários e visitação ocorre de segunda a sexta-feira. Ao todo, 480 cachorros e 60 gatos são mantidos no local.

225
Canil Municipal abriga mais de 500 animais em Juiz de Fora (Foto: Divulgação)
Canil Municipal abriga mais de 500 animais em Juiz de Fora (Foto: Divulgação)

O Canil Municipal de Juiz de Fora abriga cerca de 480 cachorros e 60 gatos que foram resgatados em situação de risco e estão disponíveis para adoção. Os interessados em criar os animais precisam passar por uma série de questionamentos.

As adoções são monitoradas pelo Departamento de Controle Animal (Dcan) e é possível visitar os animais que estão disponíveis para adoção de segunda a sexta-feira, de 9h às 10h30 e das 13h às 15h30.

O canil fica disponível em caso de problemas com o animal, como doença até 15 dias após adoção. Todos os animais saem da unidade castrados ou com data de castração agendada.

O Canil Municipal fica na Rua Bartolomeu dos Santos, no Bairro São Damião. Outras informações estão disponíveis pelo telefone (32) 3690-3591.

Canil Municipal de Juiz de Fora tem centenas de animais disponíveis para adoção (Foto: Reprodução)
Canil Municipal de Juiz de Fora tem centenas de animais disponíveis para adoção (Foto: Reprodução)

Estrutura e cuidados

O canil tem 79 baias de cães e quatro de gatos. O espaço conta com ambulatório e refeitório para os 30 servidores que trabalham, bem como banheiros feminino e masculino, além de depósitos de ração oferecendo assim, melhores condições de trabalho para os servidores e conforto para os animais. São consumidos 18 sacos de 15 quilos de ração, totalizando cerca de 270 quilos por dia.

Os animais de rua doentes ou acidentados são recolhidos pelo setor e passam por avaliação. Eles podem ser encaminhados para uma das três clínicas conveniadas, caso seja verificada a necessidade de cirurgia, exames e internação, entre outros.

Segundo o veterinário do local, que cuida dos animais que necessitam apenas de atendimento ambulatorial, é preciso orientar os servidores no tratamento dos animais e realizar avaliações diárias de higiene.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.