Mulher é multada em R$ 50 mil por tráfico de macacos-prego em SP

616
Animais foram apreendidos com um casal em Araraquara.
Animais foram apreendidos com um casal em Araraquara.

Pela terceira vez no último ano, uma mulher de Mirassol é detida pela Polícia Ambiental por tráfico de primatas. A última ocorrência foi na noite desta sexta-feira, dia 8, no bairro Santa Casa. Na casa da suspeita, foram apreendidos materiais usados para o tráfico de animais.

A ocorrência teve início na rodovia Washington Luís, em Araraquara. A Polícia Rodoviária Estadual fez abordagem em um veículo e encontrou três macacos da espécie prego sendo transportados por um casal, dentro de uma caixa de transporte de cães e gatos. A Polícia Ambiental da cidade foi chamada e, em interrogatório, o casal revelou que os primatas eram de Mirassol.

“Como já conhecemos essa mulher, quando fomos informados da apreensão, fomos direto para a casa dela. Lá havia mais um macaco, além de dezenas de anilhas, microchips, materiais de anilhamento e talões de notas frias, que são usados no tráfico de primatas”, diz o tenente da Polícia Ambiental de Rio Preto Sérgio Mioransi.

Segundo ele, os macacos apreendidos na região de Araraquara foram trazidos para Rio Preto, três foram soltos em matas e um, possivelmente, será encaminhado para o zoológico, porque o animal está domesticado e não conseguiria mais sobreviver na natureza.

No total, foram lavrados seis autos de infração ambiental que, juntos, somam R$ 50 mil em multas. Todos os dados foram encaminhados para a delegacia de Mirassol para dar prosseguimento a um inquérito, que já está aberto.

No dia 18 de junho, a Polícia Ambiental já havia apreendido com a mesma mulher 20 animais, sendo 18 primatas entre saguis e macacos-prego e dois papagaios. “Como se trata de um crime de menor potencial, ela sempre é liberada. Estamos tentando com documentos provar que trata-se de formação de quadrilha para que a pena seja maior”, finaliza o tenente.

Fonte: Diário da Região

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.