Vendaval em Brasília derruba árvores e deixa 4 garças com as asas quebradas – Olhar Animal
Policial ambiental resgata garça que quebrou as asas depois que um temporal derrubou árvores em Brasília na madrugada desta quarta-feira (8) (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Vendaval em Brasília derruba árvores e deixa 4 garças com as asas quebradas

A chuva forte, acompanhada de rajadas de vento de 50 km/h que atingiram o Distrito Federal na madrugada de quarta-feira (8), afetou também os animais da Estação Experimental Biológica da Universidade de Brasília (UnB). Policiais ambientais da PM resgataram cinco garças feridas com a queda de árvores no local; quatro delas quebraram as asas.

As aves foram recolhidas no final da manhã e levadas para o Centro de Triagem de Animais Silvestres. Segundo os policiais, apenas uma das garças não ficou machucada. Um funcionário da UnB disse que elas se feriram depois que o vento derrubou vários pés de eucalipto na área usada para estudos e pesquisas da universidade.

Garças que quebraram as asas depois de temporal em Brasília foram foram levadas para o Centro de Triagem de Animais do Ibama (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
Garças que quebraram as asas depois de temporal em Brasília foram foram levadas para o Centro de Triagem de Animais do Ibama (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Sem aulas

Também nesta quarta, a UnB liberou aproximadamente 1,2 mil alunos da sala de aula por causa da chuva. Um curto-circuito no quadro responsável por encaminhar energia aos pavilhões João Calmon e Anísio Teixeira, no campus da Asa Norte, foi atingido pelo temporal e deixou os prédios sem energia elétrica.

A falta de energia também atrapalhou o funcionamento no Hospital Universitário de Brasília, que precisou acionar os geradores. Áreas essenciais como UTIs adulto e neonatal, centro obstétrico e unidades de internação foram afetadas.

“Os pacientes com consultas e cirurgias agendadas para esta manhã estão sendo avisados e terão os atendimentos remarcados”, informou o hospital.

Pavilhão da UnB interditado (Foto: Tainá Ferreira/Arquivo Pessoal)
Pavilhão da UnB interditado (Foto: Tainá Ferreira/Arquivo Pessoal)

Entenda

Os temporais são formados devido a uma área de baixa pressão que atinge a região Centro-Oeste. “Isso favorece a formação de muitas áreas de instabilidade, joga o ar quente e úmido da superfície para cima e favorece a formação das Cumulonimbus, as nuvens de temporais”, informou o meteorologista César Soares.

De acordo com o Climatempo, uma rajada de vento de 50 km/h é considerada forte. “Já consegue provocar estragos pequenos em telhados e até mesmo a queda de algumas árvores que estejam comprometidas.”

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.