Voluntários criam página na internet para ajudar cachorros abandonados, em Linhares, ES

344
Voluntários criam página na internet para ajudar cachorros abandonados, em Linhares (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Voluntários criam página na internet para ajudar cachorros abandonados, em Linhares (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Voluntários apaixonados por cachorros criaram uma fundação que ajuda animais abandonados, em Linhares, Norte do Espírito Santo. Nas redes sociais, o grupo posta fotos dos cachorros, relata a história deles e os disponibiliza para adoção.

A cadela Luna foi encontrada machucada no meio da rua e passou por meses de cuidado até a recuperação. A Baby também sobreviveu ao abandono do antigo tutor. Cega e doente, ela nem se mexia quando foi resgatada.

“Como eu poderia deixá-la nesse estado lá? Eu não tive coragem. Peguei, levei ao veterinário e, durante dois meses, ela não tinha movimento nenhum, não andava, eu tinha que trocar fralda dela direto, dava medicação constante. Depois de dois meses, ela começou a se arrastar”, disse a autônoma Nisley Marques.

Ela conta que tem oito cachorros, sendo que seis foram resgatados da rua e trazidos para a casa dela. “Para mim, são como filhos. Eu acho que cada um deve fazer sua parte de tentar salvar uma vida, porque o animal tem uma pureza muito grande”, declarou.

O Apoio Independente aos Protetores de Animais (AIPA) já conta com 70 voluntários. Em alguns casos, os animais são retirados das ruas, encaminhados para um lar temporário e ficam à espera de adoção.

“Algumas pessoas cedem seu espaço, seu quintal, seu tempo, porque esse animal vai precisar ser medicado, e ele fica lá, por um tempo indeterminado. Ele vai fazer o tratamento e, depois, é disponibilizado para adoção na nossa página”, falou a representante do grupo Lene Batista.

A comerciante Margarete dos Reis também faz parte do AIPA. Ela conta que, todos os dias, acorda cedo, abre a loja e coloca água e ração do lado de fora.

“Eu tenho amor por eles e pena de ver os bichinhos na rua, largados e abandonados, passando fome. Eu só não pego para mim, porque não tenho lugar”, declarou.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.