Cadela anda até cemitério à procura de jovem morto em tiroteio no Alemão, RJ

Cadela anda até cemitério à procura de jovem morto em tiroteio no Alemão, RJ
Cadela conhecida como Rabita andou do Complexo do Alemão até o cemitério a procura de jovem atingido por bala perdida (Foto: Reprodução / TV Globo)

Durante um longo cortejo, parentes e amigos se despediram de Gustavo Silva, de 17 anos, uma das vítimas de um tiroteio no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, na última sexta-feira (21). O enterro do jovem foi no Cemitério de Inhaúma, neste fim de semana, e uma cena de filme surpreendeu todos que estavam na cerimônia: uma cadela que vive na rua onde Gustavo morava, conhecida como Rabita, foi andando do Alemão até o cemitério à procura do jovem. Rabita é criada pelos moradores e Gustavo sempre brincava com ela.

“Tentei segurar ela, mas não teve jeito. Ela veio acompanhando a gente até agora. Sempre a cachorra estava com ele. Ela está dando falta dele já. Quando a cachorra se apega ao dono, difícil esquecer mesmo”, disse um dos amigos de Gustavo.

Gustavo Silva, de 17 anos, ia para a padaria onde trabalhava por volta das 6h, e, no caminho, ficou no meio de um troca de tiros entre a polícia e criminosos. Ele trabalhava desde os 9 anos na padaria da família, que fica dentro da comunidade. No dia do crime, parentes disseram que ele estava atrasado e decidiu fazer um outro caminho.

“Um garoto super do bem. A família está toda abalada. Os irmãos estão abalados, os parentes estão abalados. É mais uma vida sendo ceifada no meio dessa guerra urbana que a gente tá vivendo”, disse Rodrigo, primo de Gustavo.

Vitimas de bala perdida no Complexo do Alemão foram enterradas neste final de semana

Horas depois, o soldado do exército Bruno de Souza, de 24 anos, morreu em seu dia de folga. Bruno foi atingido dentro de casa e chegou a ser levado para a UPA, mas não resistiu aos ferimentos na perna. Um suspeito, identificado como Marcos Paulo Silva de Oliveira, também morreu no confronto.

Policiais do Bope realizam uma operação na comunidade de Nova Brasilia desde a manhã de sexta-feira (21) para instalação de uma torre blindada que funcionará como base avançada dos policiais da UPP. O tiroteio ocorreu na localidade conhecida como Largo do Samba, no Complexo do Alemão, durante a instalação de uma cabine blindada da UPP na região.

Uma hora após o enterro de Gustavo, o soldado Bruno de Souza também foi enterrado. O militar foi morto dentro de casa, sentado no sofá da sala. O disparo veio de um confronto entre PMs e bandidos na localidade do Sabino, dentro do Alemão.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.