Cães e gatos estão sendo jogados de prédios pelos próprios tutores na China após notícias falsas sobre vírus

Tutores de animais estão jogando gatos e cães para fora de prédios após alegações falsas de que o coronavírus pode ser transmitido por cães e gatos. Imagens assustadoras vindas da China, atingida pela crise, mostram os corpos ensanguentados de animais jogados em ruas depois de serem mortos a tiros.

Tutores de animais estariam jogando pets de prédios por medo de coronavírus – Foto: AsiaWire
Tutores de animais estariam jogando pets de prédios por medo de coronavírus – Foto: AsiaWire

Um cachorro foi encontrado morto depois de ter sido jogado de um apartamento na cidade de Tianjin, na província de Hebei – lar do epicentro do surto Wuhan. Cinco gatos também foram jogados para a morte em Xangai, com moradores aparentemente dizendo que eram animais de estimação por terem pelo liso e limpo, dizem relatos não confirmados.

Cães e gatos não teriam relação comprovada com coronavírus – Foto: AsiaWire
Cães e gatos não teriam relação comprovada com coronavírus – Foto: AsiaWire

A mídia local afirmou que o cão foi jogado dos andares superiores de um bloco de torre às 4 da manhã e esmagado contra o teto solar de um carro. Relatórios afirmam que o barulho do cachorro batendo no carro despertou moradores que dormiam, pois soou como um estouro de pneu.

Pessoas encontraram o pobre animal de estimação morto no chão com sua mancha de sangue em volta dos tijolos.

Fakenews causaram pânico e mortes de animais domésticos
Coronavírus se espalha do dezenas de países – Foto: The Sun
Coronavírus se espalha do dezenas de países – Foto: The Sun

Os incidentes chocantes foram desencadeados depois que Li Lanjuan, especialista chinês, disse na TV estatal chinesa: “Se os animais entrarem em contato com pacientes suspeitos, eles deverão ser mantidos ​​em quarentena”. Mas, um meio de comunicação local, acabou alterando as palavras, dando a entender que “gatos e cães podem espalhar o coronavírus”.

Animais também podem ser vítimas, em não transmissores – Foto: Zhou Tianxiao
Animais também podem ser vítimas, em não transmissores – Foto: Zhou Tianxiao

O falso boato se espalhou rapidamente na rede social Weibo, que é um tipo de Facebook chinês. Numa tentativa de pôr fim a falsas alegações, uma Rede Global de Televisão da China publicou uma cotação da Organização Mundial da Saúde, dizendo: “Não há casos de animais de estimação, como cães e gatos, contraindo ou causando o novo coronavírus, de acordo com a Organização Mundial de Saúde na quarta-feira”.

Fonte: Curiosidades


Nota do Olhar Animal: Não compactue com quem mistura xenofobia, racismo e outros ódios seus com a defesa dos interesses dos animais. A China está extremamente longe de ser um dos melhores países para os animais não humanos, mas atrocidades cometidas contra os bichos ocorrem em todo o mundo, inclusive naqueles que possivelmente servem de paradigma para quem dissemina o ódio. Canadá, França, Dinamarca, EUA, Alemanha… não há exceção. Bilhões de animais morrem, especialmente devido ao consumo humano e o Brasil é um dos piores nesse ranking.

O discurso de ódio é dirigido contra os humanos “mais diferentes” fisicamente, culturalmente, etc. O anti-especismo, que norteia (ou deveria nortear) a luta pelo respeito aos interesses dos animais, aponta exatamente para o reconhecimento e respeito às diferenças. É uma postura inclusiva e indica a irrelevância destes aspectos para a consideração moral de um ser senciente. É uma gigantesca incoerência massacrar moralmente todo um povo pela violência de indivíduos contra os animais, como se não houvesse diversidade entre seus próprios membros. Mas este discurso de ódio, destruidor da civilidade, nada tem a ver com os animais e quer homogeneizar toda uma população para poder condenar todo o conjunto. Muitas pessoas usam desonestamente a oportunidade criada pelo coronavírus para expor todo o seu ódio aos “diferentes”, buscando arrebanhar adeptos e disseminar a intolerância.

Combatamos toda a violência contra os animais não humanos, venha de onde vier, sem usá-la para criar violências iguais.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.