Cromoterapia em pinguins: entenda técnica com cores usada no tratamento de aves resgatadas em SC

Cromoterapia em pinguins: entenda técnica com cores usada no tratamento de aves resgatadas em SC
Cores promovem diferentes estímulos aos animais, segundo veterinário — Foto: R3 Animal/ Divulgação

A cromoterapia, que usa cores na cura de doenças ou em favor do equilíbrio corporal, é uma realidade na recuperação de pinguins resgatados em Florianópolis. Segundo a Associação R3 Animal, responsável pela ação, a técnica complementa os procedimentos veterinários tradicionais.

A cromoterapia foi incluída em 2018 nas Práticas Integrativas e Complementares (PICS) do SUS, mas segundo o veterinário Rodrigo Castro, também “tem ganhado espaço na veterinária por não ser invasiva”.

As cores, de acordo com o profissional, podem ajudam a diminuir o estresse dos animais tratados em cativeiro, além de contribuírem no tratamento de doenças diagnosticadas pela equipe.

Durante as festas de Carnaval, o R3 Animal resgatou um pinguim-de-Magalhães que encalhou vivo na Praia do Campeche, na Capital. Ao dar entrada na unidade, os veterinários perceberam que o animal estava com penas quebradiças e ressecadas, além de ter uma mancha azul na região ventral.

A ave foi hidratada, medicada e alimentada. Ela também é um dos animais que recebe a cromoterapia durante a reabilitação (imagem acima).

Reflexo das cores no corpo

Embora os pinguins não tenham a mesma percepção de cores que os humanos, segundo o veterinário, a cromoterapia pode ser utilizada inclusive com animais cegos. “Têm receptores na pele também”, afirmou.

Enquanto o vermelho ajuda a estimular a circulação sanguínea, Castro explica, o amarelo pode ser eficaz em problemas digestivos, agindo para potencializar os tratamentos tradicionais, que não deixam de ser realizados nos animais internados na unidade.

Verde é considerada uma cor coringa, de acordo com o veterinário — Foto: R3/ Animal
Verde é considerada uma cor coringa, de acordo com o veterinário — Foto: R3/ Animal

Já em casos de aves que estão sentido dor, o veterinário recomenda cores que promovem relaxamento e analgesia, como o azul índigo. O verde, segundo ele, “garante equilíbrio” e “melhora o sistema imunológico”. As sete cores do arco-íris podem ser utilizadas.

Conheça o passo a passo da recuperação dos pinguins em Florianópolis

“É importante conhecer o quadro clinico do animal. Se ele estiver convulsionando, por exemplo, não dá para colocar uma cor estimulante”, explica.

Projeto

O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal, conduzido pelo Ibama, das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos.

Por Sofia Mayer

Fonte: G1