Empresa doa alimentos a cães de moradores de rua em São Paulo

Empresa doa alimentos a cães de moradores de rua em São Paulo
Empresa doa alimento a cães de moradores de rua em SP. - Foto: Divulgação

A pandemia do coronavírus aprofundou as desigualdades sociais nas grandes cidades. Pessoas em situação de rua fazem parte de um dos grupos mais vulneráveis à crise. Para ajudá-los, uma empresa fabricante de alimentos para cães e gatos e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo criaram um projeto para ajudar a alimentar cães de pessoas em situação de rua na capital.

Para reduzir os impactos da crise, a Prefeitura criou o Projeto Rede Cozinha Cidadã, com o objetivo de fornecer alimentação à população em situação de rua. Desde o dia 23 de abril cerca de 170 mil refeições foram distribuídos para esta parcela da população.

De acordo com um mapeamento realizado pela pasta, realizado com base no censo da população em situação de rua do ano passado, os pontos de maior concentração de pessoas em situação de rua da são as regiões da Sé, Mooca, Lapa, Vila Mariana, Santo Amaro, Pinheiros e Santana.

A partir desse levantamento, 13 rotas foram criadas para a distribuição da alimentação por meio de veículos que realizam o percurso. No entanto, ainda era preciso dar suporte à alimentação dos cães.

Assim, a empresa Royal Canin decidiu ajudar durante o tempo do projeto, com previsão de duração de três meses. A companhia irá oferecer a quantidade recomendada pelo órgão. A primeira doação foi de mais de uma tonelada, entregue na última semana.

“Com a quarentena, parte da população em situação de rua enfrenta barreiras ainda maiores para se alimentar, principalmente aquelas pessoas que estão na calçada. Observamos uma redução dos cidadãos circulando pela cidade e, naturalmente, a diminuição das ajudas com doações de alimentos para as pessoas e seus cães”, Giulia Pereira Patitucci, coordenadora de Políticas para População em Situação de Rua da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo.

Patitucci afirma que, com o Projeto Rede Cozinha Cidadã, é possível oferecer alimentação de 7.500 pessoas por dia.

“Mas observamos que as pessoas em situação de rua que têm um cão quase sempre dividiam sua própria alimentação com os animais. Por isso, a doação da Royal Canin tem tanto significado não só para o pet, mas para a própria pessoa.”

Além deste apoio, desde o início da pandemia, a marca doou mais de 13 toneladas de alimentos para 6 ONGs do Estado de São Paulo e uma ONG do Rio de Janeiro.

“Esse é um momento delicado da história do Brasil e do mundo e não poderíamos fechar os olhos e deixar de lembrar dos gatos e cães em situação de abandono, que dependem da solidariedade humana para poderem ter uma vida mais digna, feliz e saudável”, afirma Carolina Padovani, diretora de Assuntos Corporativos da Royal Canin Brasil.

“A necessidade de alimentação desses animais continua, independente da pandemia, e continuamos firmes na nossa missão de levar a nossa contribuição em prol de um mundo melhor para os pets.”

Fonte: R7

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.