Estou cansada dessa conversinha de conciliação

Estou cansada dessa conversinha de conciliação

Essa conversinha humanista preconceituosa e (especista) de que devemos considerar as minorias tal, considerar o meio ambiente, as gerações futuras, devemos nos amar mais, também devemos captar mais recursos, devemos esperar também que se estabeleça a libertação completa das mulheres e de todo o sistema capitalista, também deveríamos esperar, esperar, esperar e só quando todos se converterem ao sistema x, é que os animais podem então ser libertados da tirania humana. Essa piada sem graça está na cabeça de todas as pessoas que tem esse discurso ‘libertário’, que está sempre querendo conciliar, conciliar, conciliar, regado a muito churrasco e cerveja, sem Coca-Cola.

Eu tenho minha profissão e trabalho em diversas frentes, porém minha dedicação é aos animais. E, portanto, considero que cada um deve focar sua vida na libertação daquilo que sua vocação escolheu. Vou fazer o melhor que posso naquilo que eu quero fazer. Trabalho sozinha, pois todas as vezes que formei parceria, foi só para ser mal recebida, ou para ver que no lado de lá tem bastante incoerência e pouco resultado, ambiental e humano.

Apoiarei sempre os bons grupos que existem, as boas e raras parcerias e ações efetivas. Mas cada pessoa pode ser livre para escolher seu modo de trabalhar, isso se chama maturidade. Há os que nada fazem.

Há os que nada fazem, e mesmo assim estão dentro dos movimentos.

Por Ellen Augusta Valer de Freitas

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.