Alguns semáforos na Europa estão a pedir às pessoas para se tornarem vegans

Alguns semáforos na Europa estão a pedir às pessoas para se tornarem vegans
Uma foto partilhada nas redes sociais.

Em vez de ser verde para andar e vermelho para parar, é verde para “torne-se vegan” e vermelho para “deixe a carne”. Nos últimos meses, dezenas de semáforos em Bruxelas, na Bélgica, fazem mais do que ordenar o trânsito: tentam encorajar os cidadãos a pararem de comer carne e a tornarem-se vegans para salvar o planeta e o ambiente.

A iniciativa começou no final do ano passado e deixa muita gente confusa: por um lado, fazem-se elogios à mensagem mas também se critica a utilização de equipamentos públicos para passá-la; e por outro porque, oficialmente, ainda não se sabe quem é que está a transformar os semáforos em máquinas ativistas pelo veganismo.

Numa altura em que a questão das alterações climáticas e do impacto que o consumo de carne tem no meio ambiente é mais pertinente do que nunca, são muitas as manifestações de ativismo em diversas cidades mundiais.

Nos Estados Unidos, aparecem autocolantes há anos a pedir às pessoas para pararem de “comer animais”. E na Europa, diversos movimentos, em muitos casos encabeçados por adolescentes e estudantes, têm promovido manifestações pacíficas e greves de aulas às sextas-feiras em luta por um futuro mais sustentável para o planeta — e por mais atenção da classe política ao assunto.

Em Bruxelas não é a primeira vez que os semáforos são usados para passar mensagens: houve uma iniciativa semelhante em 2017 quando se lia, no vermelho, “stop CETA”, um acordo entre a União Europeia e o Canadá que facilita as trocas económicas e comerciais.

As primeiras luzes alteradas em nome da causa vegan datam do final de novembro de 2018 e encontravam-se nos cruzamentos à entrada da cidade mas foram entretanto aparecendo em ruas mais centrais.

Segundo a NiT apurou, existe um destes semáforos na Av. Reine Fabiola, no centro da cidade, sendo que a sua alteração (aqui e nos restantes locais) pode dar multa, por ser uma degradação do património urbano.

Nice to see my efforts spreading far and wide. So many people spend their time living halfhearted and disinterested in…

Julkaissut MisterUncertain Lauantaina 16. helmikuuta 2019

Apesar de não se conhecer a autoria dos semáforos adulterados, um ativista de direitos dos animais e artista de rua vegan, de seu nome Misteruncertain, publicou um post no Facebook a reclamar crédito por espalhar a mensagem. Mas não fica claro se terá mudado os semáforos ou se estará simplesmente a referir-se ao facto de a sua conhecida luta pela causa chegar, agora, a mais pessoas.

Os semáforos de apelo ao veganismo já terão entretanto extravasado Bruxelas e começado a aparecer também em Düsseldorf, na Alemanha.

A causa ganhou ainda mais força quando, no final do ano passado, um estudo, publicado no prestigiado jornal científico “Nature”, afirmou que o mundo precisa de reduzir substancialmente a quantidade de carne que consome. E que, se isso não acontecer, podemos assistir a um colapso climático global.

Segundo meios internacionais, o passado mês de janeiro — que desde 2014 é “Veguanary” e apela a mais pessoas a aderir à causa vegan — , bateu todos os recordes este ano: 250 mil pessoas aceitaram o compromisso de se tornarem vegans em 2019.

Por Patrícia Naves

Fonte: Nit


Nota do Olhar Animal: Quando as pessoas declaram que deixam de consumir carne ou outros produtos de origem animal pelo “meio ambiente” e não incluem e destacam os animais entre suas preocupações, vê-se que a motivação é bastante egoísta. “Meio ambiente” neste caso significa “própria pele”. Triste esta incapacidade de pessoas se levarem em consideração os danos que causam aos outros.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.