Circos itinerantes de golfinhos estão oficialmente proibidos na Indonésia

A Indonésia alcançou um marco importante no movimento dos direitos dos animais, já que o governo proibiu oficialmente shows circenses itinerantes de golfinhos em todo o país.

No último dia 5, o Ministério do Meio Ambiente e Florestas (KLHK) declarou que tais shows fora das áreas de conservação estão oficialmente proibidos, conforme estabelecido e após o final de um período de carência de dois anos de um regulamento ministerial de 2018.

“As autorizações para shows [itinerantes] de golfinhos expiraram e não podem ser prorrogadas novamente”, disse a chefe do centro técnico da KLHK, Indra Explotasia, em comunicado no dia 5, conforme citado pela CNN Indonésia.

Indra enfatizou que qualquer show itinerante de golfinhos existente viola o regulamento do ministério, e todos os golfinhos que foram usados anteriormente nos shows devem ser transferidos para instalações de propriedade de instituições de conservação que operam com licenças legais.

Um regulamento ministerial emitido no ano passado afirma que as instituições de conservação são órgãos governamentais ou não governamentais que se envolvem com a conservação de plantas e/ou animais silvestres fora de seu habitat, como zoológicos, parques de safári e museus.

No entanto, a libertação de golfinhos em cativeiro na natureza não está declarada no regulamento, pois as instituições de conservação podem manter os golfinhos de acordo com a lei.

Apelidado de “o show de golfinhos mais cruel do mundo” pelo grupo de defesa dos golfinhos Dolphin Project, os ativistas dos direitos dos animais há muito tempo defendem a proibição de shows de circo itinerantes na Indonésia.

A investigação do Dolphin Project revelou que os golfinhos usados para o circo eram frequentemente transportados entre cidades ou vilas do país e que podiam passar até três dias em “caixas semelhantes a um caixão”, que eram transportadas em caminhões por Sumatra, Kalimantan, Sulawesi e Java. Os golfinhos eram usados para executar truques com música alta em piscinas pequenas e altamente cloradas, apenas para serem alimentados com peixes pequenos durante todo o show.

Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: Coconuts Jakarta

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.