Cobras foram apreendidas em Blumenau — Foto: R3 Animal/Divulgação

Cobras colocadas à venda na internet são apreendidas e levadas a centro de triagem em Florianópolis

Vinte e quatro cobras apreendidas pela Polícia Militar Ambiental em Blumenau, no Vale do Itajaí, foram encaminhadas para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Florianópolis. São 22, sendo 14 filhotes, da espécie cobra-do-milho (corn snake), uma jiboia-constritora e uma jiboia-do-cerrado.

Os animais estavam com o dono de uma tabacaria e foram recolhidos no dia 3, sendo levados no mesmo dia para tratamento. O homem foi autuado por crime ambiental e poderá responder ainda por maus-tratos, dependendo do resultado do laudo sobre as condições de saúde das serpentes.

As cobras-do-milho são originárias dos Estados Unidos. As duas espécies apreendidas não são venenosas. Alimentam-se de pequenos mamíferos, aves, lagartos e até grandes animais, no caso das jiboias.

Os répteis foram examinados, avaliados e, com exceção dos filhotes, passaram por exames para a identificação do sexo, evitando manter machos e fêmeas juntos.

R3 Animal recebeu 24 serpentes — Foto: R3 Animal/Divulgação
R3 Animal recebeu 24 serpentes — Foto: R3 Animal/Divulgação

Conforme o Cetas, administrado pela Associação R3 Animal em parceria com o Instituto do Meio Ambiente (IMA-SC) e a PM Ambiental, a maior preocupação é com a jiboia do cerrado, que está com início de fecaloma (solidificação das fezes retidas no intestino). O animal passou por tratamento.

Algumas cobras do milho estão com pequenos pontos escuros na pele, o que sugere deficiência de vitaminas e/ou manejo incorreto, como muitos animais no mesmo local.

Depois de liberadas do Cetas, as corn snakes serão encaminhadas para locais autorizados a recebê-las, já que não podem ser soltas na natureza por não serem naturais do Brasil.

Cobra foi apreendida em Blumenau — Foto: R3 Animal/Divulgação
Cobra foi apreendida em Blumenau — Foto: R3 Animal/Divulgação

Apreensão

Conforme a PM Ambiental, foi recebida denúncia de que uma pessoa estava vendendo cobras por meio de uma rede social. O endereço era o de uma tabacaria. Policiais foram ao local e encontraram os animais em terrários.

O dono do local foi autuado por crime ambiental contra a fauna. No caso das cobras-do-milho, por introdução de espécies exóticas fora da área do país de origem sem parecer técnico ou licença, com multa de R$ 2 mil e mais R$ 200 por cada réptil. Em relação às jiboias, por manter em cativeiro espécie da fauna sem permissão. A multa prevista é de R$ 500 por animal.

O homem que estava com os répteis disse que os comprou na capital catarinense. Nos anúncios, cada cobra era colocada à venda por R$ 250.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.