Filhote de gato é resgatado com sinais de espancamento em área de mato de Jundiaí — Foto: Simome Regina dos Santos/Arquivo Pessoal

Filhote de gato é resgatado com sinais de espancamento em área de mata em Jundiaí, SP

Um filhote de gato foi encontrado com sinais de espancamento e abandonado em uma caixa na manhã desta sexta-feira (22) em uma área de mata na Lagoa dos Patos, na Marginal da Anhanguera em Jundiaí (SP).

Segundo Simome Regina dos Santos, que resgatou o animal, uma mulher fazia caminhada no local, encontrou o bichinho e a chamou. Simone acredita que ele estava abandonado desde quarta-feira (20).

“Isso acaba comigo porque eu me coloco no lugar do animal. Imagina você no meio do nada, sem andar, com dor, com frio e fome! Por que fazer isso? Eles são iguais a nós”, lamenta.

Animal foi diagnosticado com fraturas em duas patas e na bacia em Jundiaí — Foto: Simome Regina dos Santos/Arquivo Pessoal
Animal foi diagnosticado com fraturas em duas patas e na bacia em Jundiaí — Foto: Simome Regina dos Santos/Arquivo Pessoal

O animal foi levado a um médico veterinário que diagnosticou fraturas em duas patas e na bacia. Ainda conforme a ativista, o animal provavelmente foi vítima de espancamento e está muito machucado.

O tratamento deve ficar em torno de R$ 3 mil, por isso a ativista pede ajuda de custos e lar para o animalzinho. Doações podem ser feitas a um pet shop do Jardim Santa Gertrudes em Jundiaí.

De acordo com o Art. 32 da Lei 9605/98, de Crimes Ambientais, praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, a pena é de detenção, de três meses a um ano, e multa. Denúncias de maus-tratos podem ser feitas pelo número 156.

Gatinho estava abandonado na Lagoa dos Patos em Jundiaí — Foto: Simome Regina dos Santos/Arquivo Pessoal
Gatinho estava abandonado na Lagoa dos Patos em Jundiaí — Foto: Simome Regina dos Santos/Arquivo Pessoal

Por Ana Beatriz Serafim*, G1 Sorocaba e Jundiaí (colaborou sob supervisão de Eduardo Ribeiro Jr./G1)

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.