Homem zombava de cães pequenos, até que ele conheceu um

Homem zombava de cães pequenos, até que ele conheceu um

Agora ele já salvou mais de 30 chihuahuas, e sua vida virou de cabeça para baixo. A última coisa que qualquer pessoa esperaria de Bobby Humphreys era que ele se apaixonasse por um chihuahua, um cão não muito maior que o tamanho de sua mão.

O fisiculturista competidor de Boonsboro, Maryland, nos EUA, que divide seu tempo entre a academia e a instalação de pisos de madeira, era estritamente um “homem de cães grandes”. Ele chegou até a ridicularizar amigos que se atreviam a ser vistos caminhando com os pequenos cães de suas namoradas.

Mas, algumas vezes, salvadores vêm em pacotes inesperados.

Humphreys e sua esposa há 17 anos já tiveram três rottweilers ao longo de seu casamento. Humphreys amava a aparência real e imponente dos Rottweilers.

“Todos os homens têm egos e é uma grande competição de testosterona”, Humphreys contou ao The Dodo. “Quem consegue ter a mulher mais bonita? Quem pode ter a maior casa? Quem pode ter o melhor carro? Quem pode ter o cão mais assustador? Todos nós somos inseguros por dentro”.

“Eu era aquele cara de cães grandes”, Humphreys contou. “Eu nunca nem pensei em um cão de porte pequeno”.

Foto: Facebook/Bobby Humphreys

Então, no Réveillon de 2016, seu coração partiu quando sua esposa foi embora. Uma semana depois, ele lesionou o ombro na academia, precisando de uma cirurgia reconstrutiva.

Sozinho, sem uma parceira e sem poder usar seu braço, Humphreys entrou em uma depressão profunda.

“Eu sou uma pessoa muito sensível e ela era meu mundo”, Humphreys disse. “Eu fiquei perdido. Eu comecei a beber por um objetivo, ao invés de apenas socialmente”.

Lentamente, o braço de Humphreys começou a melhorar e ele começou a trabalhar de novo, mas a depressão continuou. Parecia impossível escapar da escuridão até que Humphreys recebeu um pedido inesperado de uma amiga chamada Constance Rogers.

“Ela me escreveu um dia dizendo, “Você se importaria se a Lady ficasse com você por um tempo, porque eu estou sendo despejada de minha casa e ainda não sei para onde vou me mudar?”” Humphreys disse.

Lady em um de seus “humores” típicos.

Humphreys já tinha ouvido o bastante sobre Lady, a pequena Chihuahua de Rogers, e ele não queria nada com ela.

“[Lady] tinha este temperamento terrível que era muito bem conhecido”, Humphreys disse. “Eu sempre ficava longe dela quando a via em encontros com amigos. Eu nem dava bola para ela porque eu não gostava de cães pequenos”.

Mas ele devia a essa amiga, que o tinha ajudado durante seus dias mais obscuros, então ele concordou em cuidar da pequena cadela. Então, um dia, ele chegou em casa do trabalho e encontrou Lady olhando para fora de seu cantinho, estrategicamente colocado em frente à TV.

“Depois de cerca de 15 minutos, eu disse: Que se dane, eu não me importo se essa cachorra vai me morder ou não, ela não vai ficar sentada sozinha em um canto”, contou Humphreys. “Connie veio ver como ela estava uma hora e meia depois, e, quando ela entrou, ficou completamente espantada. Lady estava no meu colo, e nos tornamos inseparáveis desde então”.

Pelos próximos quatro meses, o laço entre Humphreys e Lady se tornou mais forte ainda.

“Eu faltava muito ao trabalho, não conseguia sair da cama”, Humphreys disse. “A única coisa que me fazia seguir em frente era Lady. Eu ficava deitado o dia todo na cama com ela, a gente brincava, a gente se aproximou muito. Eu me apaixonei por esta pequena cachorra”.

Humphreys sabia que algum dia Lady retornaria para sua família, então ele começou a pensar sobre adotar seu próprio cão, desta vez um de porte pequeno.

E foi quando ele encontrou Kira, uma Chihuahua de um ano de idade com problema de agressividade por comida.

E então ele encontrou Harley, e sua irmã Quinn.

“Qualquer pessoa que já viu fotos ou conheceu Harley sabe que ela se encaixa perfeitamente bem na descrição de um Rugrats (do desenho “Os Anjinhos”)”, ele escreveu no Facebook. “Ela tem alguns cistos, é meio estranha, quase sem pelos e muito frágil”.

Então ele resgatou Bella, cujas unhas estavam tão grandes que já estavam cravando em suas patas.

Quanto mais chihuahuas ele conhecia mais percebia que eles precisavam de um local seguro.

“Eu isso começou a se repetir”, Humphreys continuou. “Muitos destes lindos pequenos bebês são maltratados ou usados, e eu simplesmente não podia me sentar e ficar vendo isso acontecer sem fazer nada”.

Foi quando ele fundou o santuário Big Guy, Littles World Sanctuary.

“Eu sou um homem grande, mas estou tecnicamente vivendo neste mundo pequeno, porque não importa se são 37 cães como agora, ou se são dois, minha vida toda gira ao redor deles”, ele disse. “Há um coração dentro desses cães que é verdadeiramente incrível”.

https://www.facebook.com/watch/?v=294199681245977

O santuário de Humphreys cresceu tão rápido, que ele até conseguiu trazer Rogers (e Lady) para ajudar.

A vida para Humphreys tem sido imprevisível, mas graças ao amor de 36 Chihuahuas muito especiais, ele encontrou uma paixão que nem sabia que tinha.

Fotos: Facebook/Big Guy, Littles World Sanctuary

“O sentimento de amor que esses cães me dão, depois do que alguns deles já passaram, faz com que eu diga: Bom, agora eu sou responsável por eles”, ele disse. “Eles confiam em mim e me olham nos olhos e dizem que me amam muito”.

Para saber mais sobre Humphreys e Big Guy, Littles World Sanctuary, você pode segui-lo no Facebook.

Por Lily Feinn / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: The Dodo

Você faz questão de um cão de raça? Pense duas vezes…

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.