(Foto: Laboratório de Ecologia e Conservação da UFPR)

Laboratório da UFPR atende ‘turistas’ que chegam ao litoral do Paraná no inverno; veja quem são

O litoral do Paraná recebe muitos turistas durante o inverno, mas não estamos falando de humanos, são diversas espécies de animais marinhos migratórios sazonais que chegam às praias do estado. Muitos deles chegam às praias em situação de exaustão ou acabam tendo outros tipos de problemas, a missão do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), que aqui no Paraná é executado pelo Laboratório de Ecologia e Conservação da UFPR é ajudá-los a se recuperar. Os animais debilitados recebem atendimento veterinário e contam com a infraestrutura do recém-inaugurado Centro de Reabilitação, Despetrolização e Análise de Saúde de Fauna Marinha (CreD) do Centro dos Estudos do Mar da UFPR (CEM-UFPR). O grupo monitora as praias diariamente e atende quando são acionados pela população.

Estes animais, dependendo do caso, seguem longas rotas migratórias, como as baleias-jubarte que vêm da região da Antártica, as aves do hemisfério norte e pinguins-de-Magalhães provenientes do sul da Argentina. Alguns vêm para se alimentar e outros para reproduzir, outros chegam no litoral porque as áreas mais ao sul estariam com temperaturas muito frias.

Lobos-marinhos, golfinhos, baleias, tartarugas, aves oceânicas e costeiras são os grupos de fauna alvo do PMP-BS. Entre os meses de maio até agora foram registrados aproximadamente 670 animais encalhados no litoral do Paraná. Nos anos anteriores, a média era de 580 animais para todo o Estado. Os encalhes de animais vivos e mortos são direcionados para as praias principalmente quando há ventos intensos em direção a costa, mas principalmente quando há frentes frias na região. O Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) registrou 18 frentes frias que potencializam a chegada desses animais até o Paraná.

O que fazer se avistar um animal?

O PMB-BS trabalha com ações de resgate e atendimento à fauna, aqueles que avistarem mamíferos, tartarugas e aves marinhas encalhados no Paraná podem avisem a equipe do projeto pelo telefone 0800-642-3341 ou o Centro de Estudos do Mar pelos telefones ou (41) 3511-8671.

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

O projeto é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. O Laboratório de Ecologia e Conservação da UFPR monitora o Trecho 6, compreendido entre os municípios de Guaratuba e Guaraqueçaba.

Fonte: Bem Paraná

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.