Laudo aponta baixa oxigenação da água como causa da morte de centenas de peixes, em Piracanjuba, GO

Laudo aponta baixa oxigenação da água como causa da morte de centenas de peixes, em Piracanjuba, GO

A morte de centenas de peixes no Rio Meia Ponte, na comunidade de Rochedo, localizada em Piracanjuba, na região sul de Goiás, é investigada pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). Segundo laudos iniciais divulgados nesta terça-feira (29), o que causou a morte dos animais foi uma queda abrupta de oxigênio na água, mas o que motivou o problema segue sendo apurado.

O laudo aponta que o nível de oxigênio dissolvido encontrado na água do rio foi de 3,25 mg/l. O ideal, segundo o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), em rios como o Meia Ponte, é de 5,0 mg/l.

Na manhã de segunda-feira (28), moradores da comunidade ficaram assustados com a quantidade de peixes que apareceram mortos. Eles gravaram vídeos mostrando os animais boiando na água do rio. Anida de acordo com os ribeirinhos, devido à quantidade de animais, o mau cheio está insuportável.

No mesmo dia, a Semad, em conjunto com a Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), enviou técnicos para realizar estudo da água e identificar o que causou a mortandade.

Segundo a secretária de Meio Ambiente, Andréa Vulcanis, a chuva que ocorreu em Goiânia na última quarta-feira (23) pode ter contribuído para o problema. No entanto, ainda faltam outros laudos a serem concluídos.

“Durante o período de estiagem, as redes de águas pluviais por onde correm as chuvas normalmente ficam secas e não tem fluxo hídrico e ali são aportados muitos resíduos e muitas toxinas e, nas primeiras chuvas, tudo aquilo é, de uma vez, carreada para o rio e depois logo abaixo para o reservatório”, explicou a secretária.

No entanto, a secretária afirma que este laudo apresentado nesta terça-feira é inicial e que outras análises ainda estão sendo feitas. Outras possibilidades são levantadas por Andréa, como a de ter havido algum lançamento fora da normalidade da estação de tratamento de esgoto.

Moradores denunciam aparecimento de ‘toneladas’ de peixes mortos no Rio Meia Ponte em comunidade de Piracanjuba — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

“Tem a possibilidade também de ser algum esgoto doméstico que não está na rede integrada, ou às vezes é um lançamento irregular, que ao invés de lançar na estação da rede de esgoto, foi lançado na rede de águas pluviais, então, aquilo vai se acumulando dentro da rede e quando vem as primeira chuvas, aquilo é levado de uma vez, portanto, aumenta a disponibilidade de carga orgânica”, disse.

Ainda de acordo com a secretária, as investigações das outras análises que estão sendo feitas podem levar até oito dias para serem concluídas.

“Os primeiros laudos começaram a ficar pronto hoje, mas isso depende muito da complexidade da análise. Análises mais complexas, como metais pesados, o laboratório exige um tempo adicional para poder fazer os resultados”, afirma.

Por Danielle Oliveira

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.