Leônidas já havia sido preso em flagrante durante rinha e agora é alvo de mandado judicial — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Médico goiano é alvo de um dos 22 mandados de prisão expedidos pela Justiça por elo com rinha de cães em SP

O médico goiano Leônidas Bueno Fernandes Filho é uma das 22 pessoas que tiveram a prisão decretada pela Justiça por envolvimento em uma rinha de cães em São Paulo. A defesa dele disse que já entrou com o pedido de revogação.

VÍDEO: Polícia tem três mandados para cumprir em Goiás sobre rinha de cães em Mairiporã

Até o início da noite, o mandado contra ele não havia sido cumprido. Leônidas e outras 40 pessoas tinham sido presas em flagrante há uma semana, em Mairiporã, quando a rinha foi descoberta.

No entanto, na última segunda-feira (16), ele foi liberado durante audiência de custódia após pagar fiança de quase R$ 60 mil. Na ocasião, somente uma pessoa permaneceu detida.

A assessoria de imprensa do médico disse que ele não descumpriu nenhuma condição imposta pela Justiça e que os fatos já foram devidamente esclarecidos.

Em um vídeo feito no momento da prisão, o médico já se dizia inocente e afirma que tinha ido ao local para buscar o cachorro de um amigo.

Os mandados foram expedidos pela juíza Daniela Aoki de Andrade Maria, titular da 2ª Vara Judicial de Mairiporã. Além de Leônidas, outros dois mandados também são endereçados a Goiás. O caso corre sob segredo de Justiça.

Os suspeitos respondem por maus-tratos de animais, associação criminosa e jogos de azar (eram feitas apostas em dinheiro nas lutas para saber que cão sairia vencedor e qual perderia a disputa).

Moção de repúdio

A Câmara Municipal de Goiânia aprovou, em sessão na última terça-feira (17), uma moção de repúdio na qual pede a “suspensão imediata” do registro de Leônidas junto ao (Cremego).

O documento foi proposto pelo vereador Zander Fábio (Patriota), que é presidente da Comissão de Proteção, Direitos e Defesa dos Animais da Câmara. A indignação ao ver a forma como os animais eram tratados, segundo ele, motivou a moção, que contou com a assinatura de 24 parlamentares.

“[O sentimento é de] indignação total ao saber o modo como eles agiam. Parece uma seita porque eles comiam [os cães] em forma de churrasco e davam as outras partes para os animais”, disse ao G1.

Na moção, o parlamentar afirma que no local foram encontrados um animal morto e 19 feridos e que até a polícia se sensibilizou com a situação encontrada, “digna de um filme de terror”.

Aviso imagens fortes — Foto: Arte/G1
Aviso imagens fortes — Foto: Arte/G1
Animal ferido encontrado em rinha de cães em Mairiporã — Foto: Marcelo Assunção/TV Globo
Animal ferido encontrado em rinha de cães em Mairiporã — Foto: Marcelo Assunção/TV Globo
Churrasco de carne de cachorro era servido na rinha, de acordom com a Polícia Civil — Foto: Polícia Civil do Paraná/Divulgação
Churrasco de carne de cachorro era servido na rinha, de acordom com a Polícia Civil — Foto: Polícia Civil do Paraná/Divulgação
Pit bull que participava de rinha de cães em Mairiporã — Foto: Marcelo Assunção/ TV Globo
Pit bull que participava de rinha de cães em Mairiporã — Foto: Marcelo Assunção/ TV Globo

Por Sílvio Túlio, G1 GO

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.