Para impulsionar adoções, professores da Unic fazem ‘book’ de animais vítimas de abandono em Cuiabá

Quem vê a Estopinha assim, não imagina a história dela, que foi resgatada pela ONG Cão Cuidado Cão Amor. Ela foi abandonada na beira do rio Cuiabá, com sinais de doença e maus tratos. Após duas semanas recebendo os cuidados necessários e tratamento adequado pelo grupo de protetores, uma surpresa: foi constatado que a cadelinha esperava um filhote, a Sofie. Desde então elas esperam juntas por um lar definitivo.

Assim como a Estopinha e a Sofie, há cerca de 280 animais disponíveis para adoção na ONG “Cão Cuidado Cão Amor”, localizada no bairro Goiabeiras, em Cuiabá. Na tentativa de ajudar os cães e gatos da ONG a encontrarem um lar, os professores Vinícius Appolari e Rogério Florentino, e a estudante Vitória Sobral, do curso de CST em Fotografia da Unic Pantanal, voluntariamente se uniram para a elaboração de um “book” com fotos humanizadas dos bichinhos. Os “modelos” foram animais vítimas de maus tratos ou abandono que estão à espera de adoção.

Estopinha, cão resgatado pela ONG
Estopinha, cão resgatado pela ONG

O coordenador de CST em Fotografia, Vinicius Appolari, afirma que além de contribuir para que os animais sejam adotados, a aula garante maior sensibilidade ao futuro profissional e fomenta o olhar crítico dos alunos. “O objetivo é instigar o estudante para que não se limite, pois, histórias devem ser contadas”, destaca.

A sessão de fotos durou quatro horas. Os registros mostram o quanto a vida dos bichinhos mudou. Cercados de amor e cuidados, todos estão curados e saudáveis. E, enquanto não são adotados, ficam em um lar temporário da organização social.

“Foi uma experiência muito gratificante. Desde criança fui incentivada pela minha família a respeitar, amar e cuidar dos animais. Eu sempre gostei muito de cachorros, tive vários e amo fotografia. Então uni as duas coisas para ajudar o pessoal da ONG nas doações”, conta a aluna, Vitória Sobral.

Sobre a ONG

Há seis anos, a professora Angela Furtado fundou a ONG “Cão Cuidado Cão amor”. Atualmente o espaço abriga 200 felinos e 80 cães. A arrecadação depende do empenho das fundadoras, dos parceiros, doações, além da realização de rifas e bazares, que tem toda a venda revertida ao abrigo.

Para Angela Furtado, a ação dos professores, bem como estudante do curso de CST em Fotografia da Unic Pantanal foi maravilhosa. “A iniciativa chamou a atenção e sensibilizou o público, pois as pessoas gostam de histórias. Além disso, as fotos trouxeram uma identidade para esses animais”, frisa.

“Quem quiser ser voluntário e conhecer de perto o trabalho que nós realizamos… eu costumo dizer que é um lugar de esperança. Quando o animal é resgatado, tem chance de sobreviver e ser curado. Tem a esperança de um novo lar e de uma família amorosa”, ressalta a cuidadora.

Aos que desejarem adotar e ajudar, seja com a doação de rações, medicamentos, produtos de limpeza e carinho, basta entrar em contato por meio do WhatsApp (65) 99962-2955 ou pelas redes sociais.

Fonte: O Livre

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.