Portugal: Ação pacífica no centro de Viana sensibilizou para utilização de animais nos circos

Portugal: Ação pacífica no centro de Viana sensibilizou para utilização de animais nos circos

Um grupo de ativistas dos direitos dos animais de Viana do Castelo realizou, entre as 10:00 e as 12:30,  em frente à Câmara Municipal, uma ação de sensibilização para alertar a população para “a exploração animal nos circos”.

A porta-voz do movimento cívico que convocou a iniciativa admitiu a participação diminuta de ativistas, cerca de duas dezenas, mas afiançou que  aquele número “não demove a luta por aquela causa, garantindo novas ações sobre estes e outros temas”.

“Não estava à espera de mais pessoas porque o horário da ação colide com o horário de trabalho das pessoas que apoiam a 100% a nossa causa. Até estava à espera de menos pessoas”, confessou Ana Maciel.

O protesto, pacífico, decorreu entre as 10:00 e as 12:30, “contra a utilização de animais no circo” e “não contra o circo, o maior espetáculo do mundo”.

Os ativistas empunharam cartazes com frases como “O maior espetáculo do mundo não escraviza animais” ou “artistas humanos sim, animais nos circos não”.

A ação foi convocada através de uma página criada nas redes sociais e surge na sequência da presença, na cidade, de um circo.

Em fevereiro passado, aquele movimento cívico promoveu uma ação semelhante, na altura, no local onde se encontrava montado um outro circo.

A jovem de 20 anos, estudante de pintura na faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, sublinhou que “mais importante que o número é a abordagem deste e de outros temas que impliquem discriminação animal ou humana” e destacou a necessidade da sensibilização começar junto dos mais pequenos”.

A iniciativa decorreu junto ao edifício da Câmara local para “ mostrar à autarquia que a população de Viana do Castelo, tal como aconteceu com as touradas, mantém a mesma linha de pensamento e não está satisfeita com espetáculos circenses que utilizem animais”.

Desde 2009 que Viana do Castelo aboliu espetáculos tauromáquicos no concelho.

“Já fomos um exemplo nessa altura podemos voltar a sê-lo em relação à utilização de animais nos circos”, frisou Ana Maciel.

Por Andrea Cruz 

Fonte: Rádio Alto Minho 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.