Decisão do Japão de retomar a caça à baleia é 'decepcionante', diz premiê britânico ao primeiro-ministro nipônico

Decisão do Japão de retomar a caça à baleia é ‘decepcionante’, diz premiê britânico ao primeiro-ministro nipônico

A decisão do primeiro-ministro japonês de retomar a caça comercial foi descrita por Boris Johnson como “decepcionante” na reunião do G7.

O primeiro-ministro aproveitou a oportunidade para tocar no assunto com Shinzo Abe quando os dois se encontraram na segunda-feira do Feriado Bancário.

O site The Telegraph soube que ele confessou a Abe estar muito decepcionado com a decisão de continuar com a prática, condenada por organizações sem fins lucrativos por colocar as baleias em risco de extinção.

Carrie Symonds, parceira de Boris Johnson, faz campanha pelo assunto há algum tempo, em seu cargo de chefe de comunicações da ONG Oceana.

A Sra. Symonds participou de um protesto antibaleação em frente à embaixada japonesa em janeiro, ao lado do pai do primeiro-ministro, Stanley Johnson.

Na época, ela disse que a prática deveria ser remetida à “lata de lixo da história”, e acrescentou: “É cruel demais. Todos nós já vimos imagens do mar ficando vermelho de sangue, enquanto uma baleia morre lentamente em agonia com um objeto de metal afiado atravessado em seu corpo. Como isso pode estar certo?”

O protesto foi organizado pelo ativista dos direitos dos animais Dominic Dyer, CEO da The Badger Trust. Ele organizou outro protesto em frente à Embaixada do Japão para a sexta-feira 30 de agosto.

Carrie Symonds e Stanley Johnson em um protesto antibaleação no início deste ano. – Foto: John Stillwell / PA WIRE

A Sra. Symonds não poderá comparecer pois estará nos Estados Unidos a trabalho da Oceana.

Zac Goldsmith, ministro do Defra (Departamento de Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais), se reunirá com ONGs para discutir a questão da caça às baleias na primeira semana de setembro.

Ele disse: “Estou muito feliz em saber que Boris Johnson comentou com o primeiro-ministro japonês hoje no G7 a respeito da terrível decisão do Japão de retomar a atividade baleeira comercial. Espero que eles a repensem seriamente”.

A primeira caça comercial às baleias no Japão desde 1986 começou no início de julho, depois que o país deixou a Comissão Baleeira Internacional, que proíbe a caça comercial.

A proibição foi colocada em prática depois que as baleias foram levadas à beira da extinção por causa da caça nos séculos XIX e XX.

As criaturas são caçadas por sua carne, e muitas comunidades costeiras no Japão argumentam que é uma tradição importante.

Boris Johnson tem levado a biodiversidade para a linha de frente dos assuntos da reunião do G7, e disse: “Não podemos ficar de braços cruzados enquanto animais e plantas são varridos da face da Terra pela imprudência da humanidade. Se não agirmos agora, nossos filhos e netos jamais conhecerão um mundo com a Grande Barreira de Coral, o tigre de Sumatra ou o rinoceronte negro”.

Por Helena Horton / Tradução de Alda Lima

Fonte: Telegraph

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.