Golfinho foi resgatado no litoral potiguar, mas após três dias de trabalho de voluntários, não resistiu e morreu.

Morre golfinho atacado por tubarão na costa potiguar

Após praticamente três dias de muito trabalho, não foi possível salvar o golfinho encontrado ferido por um ataque de tubarão na costa potiguar. O animal, que é da espécie golfinho-pintado (Stenella clymene), foi avistado por pescadores no início da semana em Maracajaú. Depois, foram várias as tentativas de reabilitação em pontos de apoio nas praias de Pitangui e em São Miguel do Gostoso, no litoral Norte do estado, até que o animal não resistiu e morreu na noite desta quarta-feira (16).

Coordenador geral do projeto Cetáceos Costa Branca, desenvolvido pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, Flávio Lima disse ao G1 que não foi a mordida do tubarão que matou ‘Jeferson Jorge’, como o golfinho foi batizado pela equipe.

“Foi como se uma pessoa tivesse sido mordida por um cachorro. Nada muito grave. Mas, o golfinho acabou apresentando complicações neurológicas e cardíacas de uma possível infestação parasitária. Essa é uma das suspeitas”, explicou.

Ainda de acordo com o professor, o golfinho tinha 1,63 metro de comprimento, e provavelmente cerca de 2 anos de idade. “Era um adolescente, podemos dizer. Essa espécie pode viver até 30 anos”, acrescentou.

Equipe do projeto Cetáceos Costa Branca resgata animais encalhados ou encontrados feridos no litoral potiguar.

A luta para salvar Jeferson Jorge começou quando um pescador avistou o golfinho ferido em mar aberto e avisou a equipe do projeto. Veterinários e biólogos trabalharam para reabilitar o animal em bases de apoio e tentaram várias vezes devolvê-lo ao mar.

Uma destas tentativas, na praia da Xepa, em São Miguel do Gostoso, foi acompanhada de perto pelo turista paulista Raimundo Nóbrega, que é engenheiro mecânico. Ele e a família estão de férias no Rio Grande do Norte. “Era perceptível o sinal de cansaço da equipe. Porém, maior ainda era a disposição de continuar na luta. E nós notamos também pequenos gestos de solidariedade e companheirismo entre eles”, destacou.

“Estamos aqui na esperança de que ele se recupere e gratos pela oportunidade de acompanhar este belo/singelo trabalho desses jovens em favor da vida. Parabenizamos a equipe pessoalmente e aqui reafirmamos o nosso reconhecimento a todos eles. Em situações como essa, costumo afirmar que o mundo desde sempre e cada vez mais precisa de pessoas assim”, escreveu Raimundo, em um relato feito em uma rede social, quando o golfinho ainda estava vivo.

Golfinho batizado como Jeferson Jorge não resistiu e morreu nesta quarta-feira (16), no RN — Fotos: Raimundo Nóbrega

Fonte: G1