Parque nas Ilhas Cayman arrisca a vida de tartarugas marinhas para que turistas tirem fotos com elas

Parque nas Ilhas Cayman arrisca a vida de tartarugas marinhas para que turistas tirem fotos com elas

Muitos centros e parques de atrações estão tendo que mudar o trato a que dão aos animais criados em cativeiro em seus recintos devido a forte pressão e trabalho de animalistas e organizações que defendem os direitos dos animais. Mas ainda há lugares onde as condições não são as adequadas.

É o caso do Cayman Turtle Farm, que em inglês significa Fazenda de Tartarugas das Ilhas Cayman. Em seu site o parque se define como um lugar onde os seres humanos podem interagir com a fauna silvestre da ilha, mas realmente se trata de um parque de atrações.

“As condições das tartarugas são tão deploráveis que muitos indivíduos nasceram sem olhos.”

A associação World Animal Protection denunciou que o parque oferece aos visitantes a possibilidade de tocar e tirar selfies com as tartarugas marinhas que são criadas em cativeiro. Um dos principais problemas que sofre estes animais é o estresse. As tartarugas se agitam e se cansam com o contato, que é feito fora da água.

O estresse faz com que as tartarugas briguem e mordam umas às outras, apresentando lesões graves, problemas de pele, malformações e doenças. Em 2014, mais de 1.000 indivíduos morreram por causa de uma infecção. Temos de ter presente que estas tartarugas possuem visão, o olfato e a audição desenvolvidos, além de uma fantástica capacidade de orientação são capazes de nadar quase 5.000 quilômetros em liberdade.

Além disso, para que os turistas possam vê-las bem, os tanques em que vivem são pouco profundos, embora estes animais possam chegar a mergulhar a mais de 140 metros de profundidade. Nesses tanques as tartarugas mal podem nadar, pois além de pequenos estão superpovoados.

As péssimas condições em que vivem estes animais está ocasionando que alguns filhotes nasçam sem olhos. E se tudo isto não bastasse, a World Animal Protection diz que uma parte das tartarugas que são criadas em suas instalações, são vendidas aos restaurantes da ilha, que as oferecem em seus menus.

Por tudo isso a organização World Animal Protection lançou uma campanha para recolher assinaturas para que a companhia de cruzeiros Carnival Cruise Land deixe de levar seus passageiros a este parque. Os animalistas dizem que 75% dos 200.000 visitantes que visitam o Cayman Turtle Farm são desta linha de cruzeiros e que com seu exemplo podem ajudar a mudar a situação das tartarugas marinhas, que estão sofrendo por comportamentos como estes.

Por Pau Massip Martori / Tradução de Flavia Luchetti

Fonte: La Vanguardia