Policial atira e mata cão ‘agressivo’ que o atacou, diz a polícia

Um policial que respondia a uma chamada sobre um cão “agressivo” em um bairro de Vernon o baleou e matou no sábado depois que o animal se aproximou dele e rosnou, disse a polícia.

Os residentes queixaram-se do comportamento do cão e porque ele ameaçou com agressividade o oficial em atendimento, disse a polícia de Vernon. Mas os proprietários estão protestando o tiro e ameaçam ação judicial contra o oficial e o departamento.

Emanuel Rivera, um patrulheiro do Departamento de Polícia de Vernon, foi enviado no dia 27 de julho para a Tall Oaks Drive depois que uma pessoa reclamou sobre um cão que rosnava e “corria à solta no bairro”, de acordo com o Capitão Keith Kimkowski.

A pessoa disse à polícia que teve que recuar para seu veículo depois que o cão se aproximou dela, disse a polícia. Rivera chegou à cena e falou com um vizinho sobre o cão. Então, Rivera caminhou em direção à casa onde o cão supostamente vivia, quando o animal saiu do quintal e correu em direção a Rivera, disse Kimkowski.

Rivera voltou para o carro da polícia e disse ao cão para parar, mas o animal continuou a “agir agressivamente” contra Rivera. Rivera puxou sua arma e disparou uma bala, resultando na morte do cão, de acordo com Kimkowski.

A polícia de Vernon continua a investigar o incidente e não liberou as imagens do evento capturadas pela câmera de corpo.

Press release:On 7/27/19, officers responded to Tall Oaks Drive for a report of an aggressive dog. Ptl. Rivera spoke…

Gepostet von Vernon Police am Sonntag, 28. Juli 2019

Jenn Hearon e seu marido adotaram Hiro da Eleventh Hour Rescue , uma organização que visa a salvar cães de abrigos que os matam depois que ninguém os adota, quando ele era um filhote. Ela disse que sempre prendeu cuidadosamente Hiro a uma longa coleira fixada na casa quando ela o deixava fora, mas às vezes ele escapava.

“Nós o chamávamos de Houdini como uma piada porque nunca poderíamos descobrir como ele escapava”, disse ela.

Hearon, que viveu no bairro por sete anos, disse que colocou Hiro na coleira naquele dia, e logo depois ela ouviu um tiro.

“Ouvimos um barulho, e meu vizinho estava me chamando dizendo que meu cão tinha sido baleado”, Hearon disse a um repórter da NJ Advance Media. “Ele é carinhoso e feliz e divertido, e eu deixei ele sair para ir ao banheiro, e a próxima coisa que se sabe é que ele está morto.”

Hiro, à direita, tinha um “sorriso pateta”, que fazia seus dentes ficarem de fora, de acordo com seu tutor.

Hearon disse que Hiro era um cão amigável, e ela nunca o ouviu rosnar.

“Você teria mais medo de ser lambido até a morte do que qualquer outra coisa”, disse ela, acrescentando que ainda estava em choque após a morte de seu animal de estimação.

Hearon disse que quer ver a filmagem da polícia do incidente, e seu marido planeja falar com um advogado sobre a situação.

Por Cassidy Grom / Tradução de Fátima C G Maciel  

Fonte: NJ

Nota: esta história foi atualizada em 28 de julho às 16:15 com comentários do tutor do cão.


Nota do Olhar Animal: É estranhamente comum em situações similares (policial atirando contra cão) o relato conflitante entre a versão do policial, dizendo-se ameaçado pelo animal, e a versão de testemunhas, afirmando sobre o comportamento amistoso do cão.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.