Técnica veterinária abalada pela investigação sobre criação de animais para retirada de sangue

Técnica veterinária abalada pela investigação sobre criação de animais para retirada de sangue

Eu sinto como se eu tivesse sangue em minhas mãos. Como tantas outras pessoas, eu entrei no campo da medicina veterinária porque eu queria ajudar os animais. Como uma técnica veterinária licenciada, eu fiz um juramento de “me dedicar a ajudar os animais… prestando um excelente atendimento e serviços para os animais”.

Técnica Veterinária Abalada Pela Investigação de PETA

Isso me assombra descobrir anos mais tarde que pacientes animais gravemente enfermos podem ter recebido sangue retirado de seres sencientes doentes e confinados. Eu inconscientemente perpetuei o sofrimento.

Eu era tão ingênua

Começando na sala de aula e depois para o laboratório de biologia, meus estudos eventualmente me levaram a meus estágios externos em clínicas veterinárias da vida real – incluindo o tempo passado no hospital de emergência 24 horas – onde animais e seus tutores dependem de nós para fornecer o melhor cuidado possível.

Durante esse tempo, eu aprendi sobre a necessidade vital das transfusões de sangue em animais. Seja por trauma, toxinas, distúrbios de coagulação, ou câncer, gravemente feridos e doentes, cães e gatos, muitas vezes, dependem de sangue vital de doadores animais.

Técnica Veterinária Abalada Pela Investigação de PETA

Tal como os seus homólogos humanos, doadores de sangue animal têm que cumprir critérios rigorosos para garantir não apenas a segurança deles, mas também a segurança dos receptores. Para evitar o máximo de complicações possíveis, doadores devem ser adultos saudáveis que não tenham infecções ou problemas de saúde subjacentes. Veja o porquê:

• Transfusões podem disseminar doenças do doador para o recebedor;
• Sangue contaminado pode causar septicemia;
• Doadores infectados podem transmitir outras infecções, como aquelas causadas por vírus ou bactéria.

Então, para recapitular, animais doentes precisam de sangue de animais saudáveis. Parece simples, certo?

Animais doentes ajudando animais doentes é simplesmente doentio

Quando eu era uma estudante, eu estava alheia às origens do sangue usado para transfusões. Depois de me tornar uma técnica licenciada, eu ainda não considerava a fonte do sangue. A verdade inquietante surgiu anos mais tarde quando uma investigação secreta de PETA revelou que algumas clínicas usam sangue do Banco de Sangue dos Veterinários (TVBB) em Indiana, onde mais de 900 cães e gatos são forçados a passar suas vidas inteiras como uma bolsa de sangue vivas.

Técnica Veterinária Abalada Pela Investigação de PETA

Conforme descoberto na investigação, os “doadores” explorados na TVBB são confinados em canis estéreis e currais lotados sem aparência de uma vida natural. Muitos deles são idosos, estão emagrecidos ou doentes com infecções respiratórias superiores, câncer ósseo ou outros problemas. Alguns desses animais que salvam vidas são privados de cuidados veterinários adequados.
Uma veterinária estadual observou que animais do TVBB, incluindo idosos, são sangrados com mais frequência – e os de uma idade mais avançada – do que os padrões de segurança do banco de sangue e transfusão determinam. Além dos cães alojados em canis enferrujados, sem cama, ela encontrou gatos com secreção ocular e sérios problemas dentários. Cada cão cujos dentes ela examinou tinha doenças dentais.

Eu não posso parar de pensar sobre cada animal que está em risco nesta situação. Animais doentes sangravam do berço ao túmulo – e receptores gravemente doentes cheios de sangue potencialmente contaminado – é tudo menos do que um “cuidado excelente” que eu prometi fornecer.

A estrada a seguir

Eu gostaria que eu tivesse sabido a verdade enquanto eu ainda estava trabalhando na prática. Eu teria feito perguntas, falado com meus supervisores, e instando-os a implementar uma política contra a obtenção de sangue de animais em cativeiro.

Meu caminho para a medicina veterinária foi pavimentado de boas intenções. Depois de trabalhar como uma técnica por muitos anos, eu voltei para a faculdade para me tornar uma escritora. Agora eu passo meus dias usando o que eu aprendi para manter o compromisso que eu fiz no dia que eu fiz o Juramento de Técnico Veterinário.

Por Melissa Sanger / Tradução de Fátima C G Maciel

Fonte: PETA

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.