Homem é flagrado montando em peixe-boi em Maceió — Foto: Reprodução

VÍDEO flagra homem subindo em peixe-boi na praia de Sauaçuhy, em AL

Um vídeo gravado por uma internauta mostra um homem subindo em um peixe-boi na praia de Sauaçuhy, em Maceió. As imagens foram gravadas no início da tarde desta terça-feira (5) (assista abaixo). Especialistas orientam que as pessoas devem evitar contato com o animal porque, embora dócil, ele é selvagem e pode transmitir doenças.

As imagens foram gravadas pela estudante universitária Rayssa Melo. Ela conta que estava na praia com o namorado por volta do meio-dia, quando percebeu a movimentação estranha de banhistas na água.

VÍDEO: Banhista desrespeita normas e monta em peixe-boi na praia de Sauhaçuy, Maceió

“Se não me engano, eram três peixes-bois na água. Fui até os banhistas e disse que eles não poderiam se aproximar, tanto para a segurança do bicho quanto a deles mesmos. Eles me ignoraram e começaram a abraçar, tirar foto. Teve um que até montou nele. Quando questionei, me disseram que o animal estava socializando com eles”, relata Rayssa.

No vídeo, um homem de boné aparece montando e interagindo com o animal. Depois ele desce e se despede dele. O peixe-boi ainda tira o focinho da água algumas vezes, para respirar, enquanto é observado por outros banhistas, que tiram fotos com seus celulares.

“O bicho ainda ficou por lá um tempo, e depois foram embora. As pessoas ficavam seguindo o animal, e só pararam quando ele foi para a parte mais funda da água. Já vi peixes-boi na praia várias vezes, e em todas elas, aconteceu a mesma coisa. As pessoas não têm noção ambiental e de respeito ao animal”, reclama a universitária.

A veterinária Aline Isidoro da Silva, da Associação Peixe-Boi, em Porto de Pedras, explica que o peixe-boi é um animal costeiro, e costuma passar pelas praias na busca por parceiros, alimento ou só para descansar. Ainda segundo ela, a atitude das pessoas no vídeo está errada.

“Eles são animais muito curiosos, que foram reintroduzidos na natureza, praticamente domesticados. Se eles virem movimento na água, vão ficar por ali. Instruímos as pessoas para que saiam da água por alguns minutos, para que eles se afastem, e só então voltem a mergulhar”, orienta a veterinária.

Aline diz ainda que as pessoas devem evitar tocar nesses animais, para que não ocorra a transmissão de doenças.

“Temos parceiros como o Corpo de Bombeiros, a Polícia Ambiental, para quem passamos todas as instruções, fizemos cursos com eles sobre como agir nesses casos. O interessante, se você vir um peixe-boi na água, além de não tocar nele, é também acionar algum desses órgãos. Eles podem reforçar as orientações e os cuidados com esses animais”, afirma.

O peixe-boi é um mamífero, que, quando adulto, pode pesar até 550 kg e chegar aos 3 metros de comprimento.

Por Derek Gustavo, G1 AL

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: Relevante são os maus-tratos cometidos pelo homem e não esta possibilidade de transmissão de doenças.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.