Vira-lata caramelo corre risco de morte e depende de doações para sobreviver; entenda

Vira-lata caramelo corre risco de morte e depende de doações para sobreviver; entenda
Catatau sofre com a cinomose e precisa de medicamentos para aliviar os sintomas (Alícia Nizzoli)

Catatau, um cachorro vira-lata ‘caramelo’, está passando por apuros após contrair cinomose, uma doença altamente contagiosa ocasionada pelo vírus Canine Distemper Virus (CDV). Os tutores lutam contra o tempo para custear o tratamento do animal, que passa por intenso sofrimento.

Quais são os sintomas da cinomose? Entre vários sintomas, estão: dor abdominal, convulsões, paralisia, vocalização involuntária, anorexia, lesões na retina, dificuldade respiratória e febre alta.

A tutora de Catatau, Alícia Nizzoli, moradora da cidade de Bertioga (SP), roga ajuda e busca inúmeros meios de arrecadar renda para sustentar o tratamento do animal, que é de alto custo.

“Descobrimos essa doença recentemente e desde então tem sido uma corrida contra o tempo, estamos correndo atrás de todos os medicamentos necessários para fortalecer ele, já que essa doença não tem cura, e atrás de tratamentos para que o neurológico dele não seja afetado”, desabafa a tutora do pet.

Como meio de obter ajuda financeira, Alícia abriu 3 rifas. Caso esteja interessado(a) em comprar, entre em contato com o número: (13) 98228-8050

– Ingresso Knofest/22 (meia entrada): R$ 20,00. (apenas 25 nomes)

– Prancha de Surf 6,2: R$ 10,00 (50 nomes)

– Cesta de chocolate: R$ 10,00 (50 nomes)

“Nunca iremos desistir dele e iremos lutar até o último segundo pela sua vida e por sua recuperação”.

História de amor

Ao contrário das histórias comuns de adoção, foi Catatau que adotou a tutora; ele apareceu na porta da casa da jovem moradora, localizada no Centro da cidade de Bertioga, ‘invadiu’ o local e lá ficou.

“Ele apareceu na porta de casa num domingão, 16 de maio de 2022, e invadiu nossa casa, nossa vida e nossos corações”, comenta Alícia.

Junto a outros irmãos caninos, que também foram adotados, Alícia Nizzoli e o noivo Lucas conquistaram uma família, porém, os riscos não param por aí!

O que provoca cinomose?

Os outros animais de Alícia correm risco de contrair a doença, uma vez que ela é transmitida por contato direto ou indireto com outros animais contaminados e a tutora não possui condição financeira para vaciná-los.

“Como todos sabem, não é nada barato, e além do mais tenho mais dois cachorros que também precisam de ração e atenção, já que essa doença pode ser transmitida através do ar”, explica.

Para evitar o contágio, é importante manter os animais afastados, com comedouros e bebedouros separados, além da constante limpeza em todos os ambientes da casa.

O vírus responsável pela doença é o CDV (Canine Distemper Virus, ou vírus da esgana canina), que é extremamente resistente, podendo permanecer no local em que o cão infectado esteve por até um ano.

Catatau precisa de medicamentos a base de Cannabis Sativa para aliviar sintomas neurológicos (Alícia Nizzoli)
Catatau precisa de medicamentos a base de Cannabis sativa para aliviar sintomas neurológicos (Alícia Nizzoli)

Como curar a cinomose canina?

A taxa de mortalidade da doença é alta. Há chances de cura, porém, exigem altos gastos com medicamentos e muita atenção da tutoria com os animais infectados.

Não há uma cura efetiva para a cinomose, porém, o tratamento dos sintomas pode ajudar na recuperação do animal.

Entre os exames solicitados para diagnosticar a doença estão: hemograma; PCR (Reação em Cadeia da Polimerase); teste rápido para cinomose.

Além de medicamentos para amenizar os graves sintomas, são recomendados fluidoterapia, antitérmicos, suplemento e alimentação impecável.

Os remédios e necessidades de Catatau

Como observado, o tratamento é árduo e de alto custo financeiro. Entre os remédios que o pet precisa estão: AI-G (Suplemento mineral vitamínico para cães), Fitocomplexo de Cannabis Sativa FS Equilibrado

A tutora também pede doações de tapetes higiênicos.

Quanto é o tempo de vida de um cachorro com cinomose?

Por ser uma doença de rápido desenvolvimento, os sintomas surgem em até 7 dias após a contaminação, e evoluem de acordo com a condição de saúde do animal, que pode vir a falecer ou desenvolver sequelas neurológicas.

Tratamento com Cannabis sativa para cinomose em cães

Um estudo liderado pela médica veterinária Naiane Alves, na faculdade UniAGES, através do artigoIntervenção da medicina veterinária não convencional na reabilitação de cães portadores de sequelas da cinomose’, revelou eficácia no tratamento com a planta Cannabis sativa.

De acordo com o estudo, foi revelado que os efeitos do Cannabis são decorrentes da sua ação no sistema nervoso central, imune e periférico, ligados ao controle de imunossupressão e estabilidade neural, mostrando propriedades anticonvulsivantes, ansiolíticas, neuroprotetoras e antipsicóticas.

Por Amanda Oliver

Fonte: Costa Norte