Zoológico mexicano de Chiapas é acusado de sumiço de animais

Zoológico mexicano de Chiapas é acusado de sumiço de animais

O zoológico Miguel Álvarez del Toro, ou ZOOMAT, local onde são exibidos animais ameaçados de extinção, poderá ter suas portas fechadas se for acusado de práticas de maus-tratos contra os animais que ficam em suas dependências, pois sem nenhum fato que justifique, os animais morrem ou simplesmente desaparecem.

Efraín Orantes Abadía, conservacionista de fauna e que se ocupa da reprodução de animais na Unidade de Manejo de Vida Silvestre (UMA) em sua fazenda de café, é um ex-funcionário do ZOOMAT e revelou que, sem nenhum motivo aparente, os próprios funcionários do zoológico se dedicam a matar urubus, apesar da proibição.

Os urubus são mortos quando estão nas árvores e até o momento o ZOOMAT não conta com autorização para matá-los. É também uma mostra de que não há manejo adequado de higiene no interior do zoológico da localidade de Tuxtla Gutiérrez.

Abadía afirma que a presença de urubus no interior do zoológico é devido à existência de carcaças de animais mortos, da área de quarentena de aves, que mais se parece com um campo de concentração, onde espécies diferentes convivem na mesma jaula, sendo um risco de saúde para os demais animais.

Tradução de Flavia Luchetti

Fonte: Tabasco Hoy

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.