Abrigo de cães é incendiado em Mauá (SP) e dois animais morrem

Abrigo de cães é incendiado em Mauá (SP) e dois animais morrem
Alimento dos cães foi atingido e ficou totalmente carbonizado (Foto: arquivo pessoal)

Um terreno que servia como abrigo para 30 animais no Parque Capuava, em Mauá, pegou fogo na manhã da última terça-feira (26/5) e pelo menos dois cachorrinhos morreram. Os animais estavam sob responsabilidade de Rose Regina Bernardi, de 61 anos, que vive em situação de rua há pelo menos 15 anos. Segundo informações, a mulher recebe doações de pessoas próximas para proteção dos animais, mas o fogo destruiu parte do terreno.

O fogo foi contido pelo Corpo de Bombeiros, mas apesar disso, o incêndio atingiu parte do telhado e ainda queimou a ração dos animais, que estava estocada próxima dos cães. Quem passa pelo espaço ou vive nas redondezas de Rose, alega sofrer com a precariedade de falta de apoio e investimentos básicos como água e luz. “Ela mora na rua com os cachorros e não tem mais nada a não ser eles. Arranjaram esse terreno dizendo que era uma doação, mas na verdade é de outro dono”, dia uma vizinha do espaço que preferiu não ser identificada.

O local já chegou a ter mais de 40 animais em 2018, quando o assunto foi abordado pelo RD, época ainda que a Prefeitura de Mauá alegou que iria acionar as secretarias para atender as demandas da moradora. “Eles não tem para onde ir, tem uma cobertura de lona agora e conseguimos telhas para instalar no espaço, mas a Prefeitura não presta qualquer tipo de auxílio para ela, e estamos com medo, pois ela não tem para onde ir”, completa.

Questionada novamente, a Prefeitura de Mauá informa que Dona Rose, que até então era moradora de São Mateus (Zona Leste de SP) com seus animais, foi retirada durante à noite por uma senhora e deixada neste terreno particular em Mauá. “Na época, a equipe do Bem Estar Animal esteve no local e ofereceu atendimento veterinário e castrou parte dos animais, conseguindo ainda, doar alguns, porém em poucos dias, outros animais se juntaram”, diz em nota.

A Secretaria de Promoção Social realizou abordagens, ofereceu acolhimento no Centro Pop, onde haveria acompanhamento psicológico, alimentação, banho e pernoite, no entanto, a Prefeitura alega que Rose se negou a receber quaisquer intervenções e serviços sociais.

Dos animais que estavam no local do incêndio, três filhotes foram resgatados por uma veterinária de São Bernardo, que já vinha acompanhando e ajudando os animais da acumuladora desde 2019. Os demais cães passam bem e são assistidos pelo Bem Estar Animal.

Por Fernando Scerveninas

Fonte: Repórter Diário 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.