Ativista critica ideia que promete acabar com colônia de gatos de Piatã, em Salvador, BA: “loucura”

Ativista critica ideia que promete acabar com colônia de gatos de Piatã, em Salvador, BA: “loucura”
Ativista acredita que projeto de túnel para colônia de gatos de Piatã não sairá do papel

A ideia que tem prometido acabar com a colônia de gatos de Piatã, em Salvador, não tem agradado os protetores de animais que atuam na região. Isso porque os ativistas não acreditam na eficácia do projeto e nem que ele, de fato, será colocado em prática.

O BNews noticiou, nesta terça-feira (22), um projeto que o ex-deputado e ambientalista Marcell Moraes revelou à reportagem sobre o caso da colônia de gatos de Piatã. Segundo Moraes, um túnel deve ser feito em breve na região para evitar atropelamentos de felinos. Além disso, o projeto deve cadastrar Organizações não Governamentais (ONGs), para que cada uma delas recolha uma parte dos animais.

O ativista Tiago Martins, que dedica-se a um projeto na região de Piatã e também atua na colônia, ironizou a ideia e afirmou que medidas mais fáceis e rápidas já poderiam ter sido feitas. “Fazer um túnel, que túnel é esse? Que loucura é essa? É um túnel pra ligar o Centro Histórico ao metrô, um túnel pra gato passar… tem coisas mais simples. Além do que, não se pode ter uma obra cara em algo que deve sair dali. Ali não é lugar pra gato”, disse ele.

“A prefeitura não está nem fazendo o quebra-molas na ciclovia, nas proximidades da colônia, algo que já existe, como em Jaguaribe, imagine se vai fazer túnel…. Seria interessante a prefeitura apresentar esse projeto”, ironizou.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Gatinhos de Piata (@gatinhosdepiata)

Tiago comentou sobre as dificuldades do local, que já acumula mais de 300 gatos. “Ali se tornou uma Colônia de Sofrimento para esses animais”, afirmou.

“Quando eu leio uma reportagem em que dizem que se propõe a fazer um túnel, eu não sei se estão brincando, eu não sei, sinceramente… que isso? Eles estão querendo fazer política com os gatos”, disse. “Gente que está fazendo politicagem, infelizmente, essa galera aí fala o que quer”, disparou. “Chegou o limite, é um sofrimento infernal ali”, lamentou ele.

E as câmeras, ajudaram?

“As câmeras não tiveram nenhuma utilidade. Infelizmente, gastaram dinheiro público para fazer publicidade e marketing. As imagens ficam na Secretaria Municipal de Sustentabilidade e Resiliência (SECIS) e nenhum abandono foi punido ou teve as imagens divulgadas”, protestou Tiago.

Não é de agora que o caso das câmeras vem incomodando os protetores de animais. Recentemente, a protetora de animais, identificada como Sônia, fez um vídeo afirmando ter mais de 50 filhotes de gatos abandonados recentemente na colônia.

O equipamento foi instalado no dia 14 de março, pela Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Resiliência, Bem-Estar e Proteção Animal (Secis), liderada por Marcelle Moraes. Procurada pelo BNews, no dia 3 de abril, a assessoria de Marcelle afirmou que a secretária não iria se manifestar sobre o assunto. Já a Diretoria de Bem-Estar e Proteção Animal (DIPA), explicou que as câmeras ainda estavam em fase de teste.

“A Secretaria de Sustentabilidade, Resiliência e Bem-Estar e Proteção Animal – SECIS será a responsável por este monitoramento e os pedidos de obtenção das imagens deve ser feito via e-mail”, disse diretora Michelle Holanda ao BNews.

O cenário na colônia de gatos

A situação tem ficado cada vez pior na região, e Tiago citou as ajudas frequentes e eficazes que recebem. “O cenário atual é o pior possível. O abandono permanece diariamente, gatos filhotes, gatos doentes… não existe nenhuma fiscalização e nem monitoramento para punir autores do crime de maus-tratos (abandono)”, citou.

“A única ajuda que os voluntários recebem é de Janaina Rios (Célula Mãe) que vem pegando gatas para castração e de Márcia Menezes (União de Proteção Animal de Salvador), que, além de castrar, tenta socorrer os casos mais sérios de gatos doentes e acidentados”, complementou.

“Fora isso todo o peso ficar para Dona Sônia e Dona Rita, que estão diariamente alimentando e cuidando de centenas de animais. A Colônia também conta com a presença da Dra. Laisa Kamei, veterinária que voluntariamente atende e aplica medicações em alguns casos mais simples”, acrescentou.

Casos da Prefeitura

O ativista rebateu a acusação que o ex-deputado Marcell Moares fez e afirmou que o evento musical que instalou o caos na região foi promovido pela Prefeitura de Salvador, e não pelo Governo do Estado. A logo da Prefeitura era exibida em materiais do evento.

Procurado pelo BNews, o ex-parlamentar reconheceu o erro e afirmou não ter tido conhecimento de que o evento era municipal.

Além disso, em maio, ativistas haviam denunciado a Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb). Segundo relatos, um trator da empresa pública municipal teria passado por cima de um dos gatos da região e não prestou socorro. “Terá punição? Ou isso só vale para o cidadão comum? Até quando veículos vão permanecer trafegando pelos passeios de Piatã?”, questionou o perfil Gatinhos de Piatã no Instagram.

O BNews procurou a Limpurb, mas não obteve resposta até o momento. Caso a empresa se pronuncie, a matéria será atualizada.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Gatinhos de Piata (@gatinhosdepiata)

Por Milena Ribeiro

Fonte: BNews