Cães morrem após comerem patê de atum com veneno no DF

Cães morrem após comerem patê de atum com veneno no DF

Um caso de violência contra animais vem causando revolta nos moradores do Taquari, setor habitacional do Lago Norte. Os cachorros da região estão sendo envenenados. A comida com veneno é jogada sob muros e grades de casas com animais. Cinco cachorros morreram após comerem alimentos com veneno, mas, desde o início de março, mais de 20 animais já foram intoxicados dessa forma, de acordo com a Polícia Militar e a comunidade.

Segundo a PMDF, o responsável pelos envenenamentos tem colocado veneno em um patê de atum, que é lançado aos animais da vizinhança.

“Não se sabe o propósito de tudo, mas não tem vinculação com crimes contra o patrimônio, uma vez que não temos furtos a residência há mais de três meses no Taquari”, relata o tenente Barbonaglia, da PMDF.

De acordo com o policial, o 24° Batalhão de Polícia Militar aumentou o policiamento ostensivo e colocou a inteligência no bairro com carros descaracterizados na tentativa de localizar o envenenador.

Penas e denúncias

Segundo o art. 32 da Lei de Crimes Ambientais: praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos ocasiona detenção de 3 meses a 1 ano em regime fechado. Também rende multa equivalente a 40 salários mínimos ao responsável.

A pena é aumentada de um sexto a um terço, caso o animal morra.

A Polícia Civil do Distrito Federal disponibiliza três meios para recebimento de denúncias: o telefone 197, o e-mail [email protected] e o WhatsApp (61) 98626-1197.
Já o Batalhão Ambiental da Polícia Militar atende 24 horas por dia, pelo telefone 3190-5190 e pelo WhatsApp – (61) 99351-5736. 

O Taquari fica na região do Lago Norte. Foto: Michael Melo/Metrópoles
Polícia Ambiental recebe denúncias 24h por dia-Gabriel Jabour/Agência Brasília
Vinte cães já foram intoxicados e cinco morreram no Taquari.- Arquivo Pessoal

Por Marcus Rodrigues

Fonte: Metrópoles

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.