Carroceiro é conduzido à delegacia por suspeita de maus tratos a animais, em Rolim de Moura, RO

Carroceiro é conduzido à delegacia por suspeita de maus tratos a animais, em Rolim de Moura, RO
Homem foi flagrado por obrigar uma égua a puxar uma carroça com uma carga excessiva (Foto: Rondônia News/Reprodução)

Um carroceiro de 50 anos foi conduzido pela Polícia Militar (PM) para a Unidade de Segurança Pública (Unisp), na sexta-feira (23), por maus-tratos a animais. Segundo o boletim de ocorrência, o homem foi flagrado por obrigar uma égua a puxar uma carroça de tração animal com uma carga de ferro excessiva pelas ruas de Rolim de Moura (RO), na Zona da Mata.

Segundo o boletim de ocorrência, um casal denunciou o homem após avistar a carroça de tração animal, carregada com uma carga de ferro que apresentava estar bastante pesada. O carroceiro obrigava o animal a transportar a carga com um acoite. Conforme o relato das testemunhas, a égua apresentava estar debilitada e sem forças para puxar a carga excessiva.

Após receber a denúncia, uma guarnição da PM foi enviada para averiguar a informação. Ao constatar a veracidade dos fatos, os policiais retiraram a carga da carroça e liberaram o animal que foi entregue a outra pessoa. Já o carroceiro foi conduzido para a Unisp, onde foi posto a disposição da Justiça.

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: A questão principal não é o “excesso de carga” e sim os humanos se acharem no direito de explorar animais, seja para este ou qualquer outro fim. No caso específico dos animais usados para tração, proliferam leis buscando regulamentar a atividade, uma medida que atrasa o fim deste holocausto. Só a proibição total resolve a questão animal, aplicada conjuntamente com a qualificação dos carroceiros para outras atividades ou o fornecimento de equipamentos que substituam carroça e cavalo, como o chamado “cavalo-de-lata”.

Deixe um comentário