Comissão parlamentar apura más condições dos animais em zoo de Belo Horizonte, MG

Comissão parlamentar apura más condições dos animais em zoo de Belo Horizonte, MG
Animais de grande porte são os mais prejudicados devido problemas estruturais (foto: Rafa Aguiar / CMBH)

Os elefantes e rinocerontes do zoológico de Belo Horizonte estão vivendo em más condições em seus recintos. Pelo menos é o que constatou a Comissão de Meio Ambiente e Política Urbana da Câmara Municipal, em visita realizada ao local nesta terça-feira.

Na avaliação dos integrantes da comissão, problemas estruturais nas áreas destinadas aos animais vêm interferindo na qualidade de vida deles, com desconforto e sofrimento aos espécimes, que estão com dificuldades de locomoção.

A inspeção dos vereadores foi motivada por um vídeo exibido nas redes sociais, que mostra um elefante praticamente se arrastando para conseguir sair de sua área de tratamento. O motivo seria uma barra de contenção instalada em uma altura incompatível com o tamanho do animal.

Durante a visita, os vereadores constataram não somente essa realidade, mas também as péssimas condições estruturais no recinto dos elefantes e dos rinocerontes, comprometendo a locomoção e o bem-estar desses animais.

De acordo com a Câmara Municipal, o presidente da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte (FZB), Homero Brasil Filho, justificou que a reforma dos recintos são obras prometidas há cerca de dois anos pela Sudecap, que não foram realizadas.

Além das intervenções de adequação, Filho destacou outro problema emergencial por que passa a FZB, que diz respeito à mão de obra terceirizada. Isto porque o contrato entre a prefeitura e a empresa que fornecia quase 80% dos funcionários foi encerrado. Sem que outro novo acordo fosse firmado, 23 funcionários foram contratados no último fim de semana, porém, eles são suficientes apenas para trabalharem na alimentação diária dos animais.

Fonte: Estado de Minas 


Nota do Olhar Animal: Os zoológicos, que por natureza são danosos aos animais, ainda apresentam, de forma recorrente, problemas que agravam a situação dos bichos. A administração ou está na mão de governos irresponsáveis ou na de empresas que visam exclusivamente o lucro. Em ambos os casos, a vida dos animais só importa na medida que atraem visitação. Os defensores destas instituições se escondem atrás de argumentos totalmente falsos. Um é o de que os zoos tem algum caráter educativo, sendo que dão como exemplo violentar os animais, aprisionando-os perpetuamente. Outro é de que ajudam na preservação das espécies, mentira já comprovada pelo número pífio de animais reintroduzidos na natureza. O interesse por trás dos zoos sempre é o econômico, seja o de empresários, seja o de pessoas que vivem empregadas às custas desta exploração.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.